Posts

6 Vantagens de se tornar um Coach

Você sabia que o número de coaches cresce de maneira exponencial no país e no mundo?

 

Em um mercado em constante aceleração e transformação, no qual se torna cada vez mais predominante a cultura ágil, algumas dúvidas são frequentes: como é o colaborador do futuro?

 

Nesse ambiente ágil, pessoas que apresentarem competências que as auxiliem a gerenciar suas emoções com tomadas de decisões conscientes, sairão na frente.

 

De tal modo que indivíduos com técnicas de coaching se destacarão, pois além de desenvolverem habilidades para ajudar outras pessoas, também conseguirão desenvolver a própria inteligência emocional.

 

Engana-se quem pensa que o coach é o profissional que atua no mercado informal, de maneira banal e vulgarizada. Ele pode atuar no âmbito executivo, em altos cargos de liderança, inseridos também no mundo corporativo.

 

O coach é aquele que media um processo cocriativo, inspirando e maximizando o potencial de cada um, contribuindo para que as pessoas alcancem seus objetivos, seja na vida pessoal ou profissional.

Veja as vantagens de se tornar um Coach

 

1. Desenvolvimento pessoal

 

A carreira de coaching proporciona desenvolvimento pessoal. Como num círculo virtuoso, aprendizado constante gera evolução constante, e isso está completamente atrelado a essa nova cultura de mundo ágil.

 

Algumas habilidades como: autoconhecimento, autoconfiança e autoestima fazem parte desse processo de desenvolvimento que a carreira de coach proporciona.

 

Num processo de evolução pessoal, a expansão da consciência traz à tona as próprias limitações e crenças, passo importante para entender o próprio mindset que explica o modo como as pessoas se portam diante das mais diversas situações.

 

O exercício da escuta também proporciona desenvolvimento, pois a realidade e a vivência do outro propiciam crescimento. É na troca com o coachee que o coach se desenvolve ainda mais. As inter-relações enriquecem o desenvolvimento pessoal.

 

2. Liberdade

 

Uma boa e sólida formação em coaching possibilita alguns caminhos que podem trazer independência e autonomia: como agenda e jornadas de trabalho mais flexíveis, método de trabalho de acordo com um estilo próprio, tudo coerente ao momento na carreira em que se encontra.

 

O profissional de coaching que atinge esse nível passa a ter total liberdade de escolha, podendo atuar como dono do próprio negócio, desenvolvendo parcerias com outras empresas de coaching alinhada com seus valores, e tendo também os seus próprios clientes.

 

Uma boa formação traz autoridade para o profissional desenvolver processos de coaching em grandes corporações, proporcionando ainda mais liberdade dentro da profissão.

 

3. Mercado em crescimento

 

O mercado de Coaching está em acelerada expansão no que diz respeito a crescimento, mas principalmente quando se fala em amadurecimento.

 

Em 2017, a International Coach Federation (ICF) divulgou que já são mais de 53 mil profissionais no mundo, movimentando mais de US$ 2,3 bilhões.

 

No Brasil, o crescimento foi de mais de 300% nos últimos 4 anos. Diante desse cenário, cada vez mais se exige profissionais com formações certificadas em escolas que tenham padrões e selos de qualidade.

 

O ICF, International Coach Federation, é uma instituição sem fins lucrativos, considerada a principal organização no mundo, reunindo 34.345 coaches associados em 140 países, definindo padrões e códigos de ética.

 

Uma pesquisa da AESC (Association of Executive Search and Leadership Consultants) mostrou que 51% dos executivos pesquisados acreditam que o coaching seja uma ferramenta fundamental para se manter no mercado.

 

A carreira oferece oportunidades variadas e o profissional pode desenvolver outros skills, podendo atuar em diversas áreas e segmentos. Desenvolvendo outros coaches, na área de T&D de lideranças, mentorias, coaching de grupo ou individual, nos mais diversos setores.

 

Um estudo global realizado pela ICF, traz dados relevantes referente ao impacto de um processo de coaching:

 

• 46% demonstram otimização da performance individual ou do time;
• 40% demonstram aumento de produtividade;
• 34% demonstram melhora no gerenciamento das estratégias corporativas;

 

Isso amplia o engajamento no mercado pois efetivamente os resultados são aparentes. Um bom profissional colabora na mudança de paradigma, trazendo luz, credibilidade e fortalecimento à profissão que está em crescimento exponencial.

 

4. Remuneração

 

O principal critério para obter ótima remuneração na carreira de coaching está vinculado ao quanto o profissional busca por desenvolvimento.

 

A remuneração está associada também ao aspecto da liberdade, pois cada coach escolhe as melhores estratégias que irá utilizar para alcançar sua independência financeira.

 

A carreira de coach pode estar associada à outra profissão, agregando renda extra ao profissional. Vale destacar que um bom profissional de coach em início de carreira, com processos de coaching individuais pode ganhar de R$7 a 10 mil reais.

 

Além da formação e do desenvolvimento contínuo, outros pontos são importantes para chegar lá: parcerias, vínculos, relacionamentos e inovação. Tudo isso amplia o horizonte para o caminho de uma boa remuneração.

 

Não existe fórmula mágica, mas sim uma combinação de interesse genuíno pelas pessoas, autoconhecimento, boa formação e muita prática.

 

5. Desenvolvimento profissional

 

A profissão de coach está apoiada em um bom planejamento de carreira. O quanto de tempo você dedica em formações e aprendizado, correspondem em contrapartida como será o seu desenvolvimento profissional.

 

Na carreira de coach esse progresso é contínuo. Existem muitas especializações que trazem desenvolvimento profissional: Formação em Coaching de Liderança, Especialização Life Coaching, Especialização em Coaching Evolutivo e Certificação Master em Coaching.

 

A teia de relações que o profissional vai construindo também falam de quão maiores podem ser suas possibilidades, pois a troca propicia crescimento, e cada nicho que ele atende amplia seus conhecimentos.

 

A expertise pode ser uma aliada. Tornar-se muito bom em algo traz mais possibilidades de evolução dentro da carreira e consequentemente o mercado fica maior.

 

O sucesso na carreira de coach depende exclusivamente de cada um, mas o desenvolvimento profissional é sem dúvida uma característica muito positiva dessa profissão.

6. Trabalho com propósito

 

Não saber qual é o seu propósito no mundo pode trazer muitas incertezas. Propósito é uma missão de vida, e é o que as pessoas sempre acabam se deparando quando começam a estudar coaching.

 

O coach acredita por princípio que os indivíduos têm todos os recursos que necessitam e sempre tomam as melhores decisões com os recursos que tem. E ele é justamente o profissional que pode dar suporte para essa descoberta.

 

Ajudar outras pessoas a encontrarem seus propósitos alimentam no coach o desejo de viver ele também o seu. A ressignificação estende a mão para o coach, pois no exercício de auxiliar o outro, ele acaba promovendo seu autodesenvolvimento, que pode suscitar mudança e até a ressignificação da sua missão.

 

A carreira de coaching pode ser uma jornada para a maestria, onde o coach percorre uma estrada cheia de desafios, mas é ao mesmo tempo presenteado com o autodesenvolvimento e a exponencialização de habilidades que fazem parte do colaborador do futuro.

 

Descobrir e praticar uma nova carreira requer estudo, desenvolvimento, orientações de profissionais que já atuam na área e foco em seu propósito.

 

Para ajudar você nessa jornada de estudos e pesquisas, te convidamos a conhecer as Formações e Certificações em Coaching da Crescimentum, que une expertise em mais de 15 anos de experiência.

 

por Sonia Arruda, Professional Certified Coach e Mentor Coach.

 

7 considerações na hora de escolher um curso de Coaching em 2019

Por Dan Porto, sócio-diretor e head de Coaching da Crescimentum

 

Você deseja se tornar um coach profissional de destaque? A escolha de um bom curso de Coaching pode te ajudar nisso!

 

Mas esse processo não é tão simples assim. Em meio a tantas opções, pode ser difícil identificar o que uma boa certificação deve ter. E essa escolha é um grande primeiro passo para a sua carreira!

 

Tenha em mente que, ao escolher um curso de Coaching, você escolhe também o seu reconhecimento enquanto profissional de uma área competitiva e que cresce a cada dia.

 

Uma boa formação é fundamental para sua colocação no mercado. Por isso, é importante identificar por onde começar.

Aqui vão algumas dicas do que buscar em um curso de Coaching:

 

  1. Aprendizado cocriativo

Uma boa certificação deve te fazer sentir o Coaching de uma forma que vá além de apresentações expositivas em slideshows e do material didático.

 

Em outras palavras, é preciso que o curso te faça vivenciar o processo com intensidade, criatividade e participação ativa. A melhor forma de aprender Coaching é por meio de Coaching!

 

  1. Instituição reconhecida

Outro fator importantíssimo na escolha de um curso de Coaching diferenciado é que seu conteúdo seja alicerçado em preceitos de uma instituição que seja referência nessa prática.

 

A entidade mais reconhecida mundialmente é a ICF (International Coach Federation), órgão internacional que garante padrões éticos, excelência e rigor na formação de coaches.

 

Além de estabelecer, claramente, as competências que definem a atuação de um coach. Isso mostra que a certificação escolhida zela pela formação de profissionais qualificados.

 

  1. Responsabilidade social

Uma boa certificação de Coaching não apenas forma coaches, mas cuida para que suas dúvidas sejam atendidas e o aprendizado adquirido da melhor forma possível.

 

Essa é uma forma de valorizar a responsabilidade social na formação de profissionais competentes e qualificados para processos de Coaching transformadores.

 

  1. Metodologia diferenciada

Faça uma pesquisa aprofundada de acordo com o seu perfil e sua realidade, seja pela internet ou a partir da indicação de seus contatos pessoais.

 

Dessa forma, você poderá identificar se a metodologia e grade curricular da instituição estão de acordo com o que espera.

 

Mas não deixe de ponderar o valor de demonstrações ao vivo de sessões de Coaching e práticas supervisionadas como pontos fundamentais.

 

Isso permite com que você vivencie o processo na prática e conquiste a segurança necessária para dar os primeiros passos como coach.

 

  1. Carga horária adequada

Como o Coaching é um processo amplo e profundo, uma boa certificação não acontece em poucas horas. Por outro lado, um curso de conteúdo massivo não é o melhor caminho para uma aprendizagem eficaz.

 

É importante que haja um equilíbrio no processo, para que o conteúdo seja apreendido da melhor forma.

 

  1. Profissionais qualificados

Além de pesquisar sobre a instituição, metodologia e carga horária, é importante que você analise a trajetória dos trainers que ministrarão o curso.

 

Dessa forma, você terá certeza de que possuem expertise para um ensino de qualidade, confiando a sua formação à pessoas realmente competentes.

 

  1. Apoio ao aluno

É comum se sentir inseguro ao começar uma nova carreira. Por isso a enorme importância do apoio da instituição no início dessa nova trajetória profissional.

 

Uma boa certificação dá suporte ao seu aluno através da oferta de sessões de mentoria que possibilitem um aprendizado personalizado dos conceitos.

 

Além disso, oferece oportunidades de parcerias capazes de impulsionar o início de uma nova trajetória profissional.

 

 

 

A partir dessas 7 considerações, você escolherá uma formação diferenciada para se destacar enquanto coach profissional.

 

Tenha em mente que fazer a certificação em Coaching é um processo transformador e a escolha de uma instituição confiável e qualificada tem tudo a ver com isso!

 

Se você deseja dar esse primeiro passo, não deixe de fazer parte da próxima turma da Certificação em Coaching da Crescimentum!

 

Com base nos conceitos mais eficientes e atuais de desenvolvimento humano, tais como Neurociência, Inteligência Emocional, Atenção Plena, Psicologia Positiva, Níveis Neurológicos, Foco na Solução, entre outros, desenvolvemos uma certificação pensando em fazer a diferença na vida de novos profissionais.

 

Coaching e Mentoring: afinal, qual a diferença?

Por Alessandra Sperandio, coach parceira da Crescimentum

 

Para que seja possível abordar a diferença entre Coaching e Mentoring, é fundamental entender, separadamente, o que cada um significa, suas aplicabilidades, para quem se destina e quais competências os profissionais de cada abordagem precisam ter para obter sucesso em suas conduções e atuações.

Coaching e Mentoring

Entendendo o Mentoring!

Mentoring é um termo em inglês que significa “tutoria”, “mentoria” ou “apadrinhamento” e é utilizado como um caminho de desenvolvimento através de um profissional experiente, chamado de mentor ou conselheiro.

 

O mentor possui uma larga bagagem profissional, visto que já passou por diversas situações que lhe proporcionaram um profundo aprendizado, aumento de repertório e desenvolvimento de novas competências para enfrentar situações complexas em sua área de atuação.

 

E, com essa bagagem, auxilia profissionais menos experientes ou em início de carreira, disponibilizando toda a sua experiência para que aprendam com quem já viveu situações similares.

 

É uma maneira de aumentar as possibilidades de sucesso, por meio da resolução de problemas num menor espaço de tempo.

 

O Mentoring pode ser utilizado dentro das empresas e tem como principal responsável a área de Recursos Humanos.

 

É ela que identifica e convida os profissionais sêniores, sejam de dentro da própria empresa ou de consultorias capacitadas.

 

O foco é a diversidade de profissionais com experiências e vivências para a atuação como mentor de seu público interno em novas funções que demandam treinamento e aceleração de aprendizado.

 

Apesar dessa estratégia ser ideal na formação de novos colaboradores e na aceleração de aprendizado de profissionais em novas funções, o Mentoring ainda é pouco aplicado no Brasil.

 

Estima-se que uma a cada dez grandes organizações utilizam e adotam esse método para desenvolver e capacitar seus profissionais.

 

Outro ponto é que, mesmo sendo mais utilizado e aplicado nas empresas, é possível utilizar esse método em outras áreas da vida, além da profissional.

É a vez do Coaching!

Coaching é também um termo em inglês, oriundo da palavra Coach que significa “treinador”.

 

A terminologia Coaching é destinada a uma metodologia que utiliza ferramentas e princípios próprios para ajudar pessoas a alcançarem seus objetivos em um período determinado, de forma estruturada e focada em ações, conforme já abordado em artigos anteriores.

 

Duas das principais competências que um profissional Coach precisa ter são a capacidade de atenção plena ao seu Coachee e saber ouvir desprovido de julgamentos, opiniões, “achismos”, induções e conclusões.

 

Outro princípio básico do Coaching é que o Coach não opina e nem dá “dicas” sobre o que seu cliente precisa fazer para chegar na sua meta.

 

O que ele faz é utilizar ferramentas apropriadas para facilitar o processo de reflexão de seu Coachee.

 

Utilizando-se dessas principais competências, ele se torna capacitado a fazer perguntas relevantes que ajudam seu Coachee a buscar suas próprias respostas, ressignificar algumas crenças e buscar novos caminhos neurais, que o ajudem a pensar no que nunca pensou.

 

A partir desses questionamentos, o Coachee é capaz de fazer o que ainda não fez para chegar onde deseja estar, por meio de suas próprias ações, escolhas e decisões.

O profissional de Mentoring precisa ser um Coach?

Não necessariamente. É interessante que o mentor conheça as ferramentas de Coaching, já que elas podem ajudar na sua atuação.

 

Está cada vez mais comum encontrar executivos experientes e bem-sucedidos que buscam a formação e certificação em Coaching para ampliar sua atuação e utilizar as duas metodologias em contextos e necessidades específicas para cada uma.

Como fazer a melhor escolha de acordo com a necessidade?

Ao escolher um profissional que não tem experiência técnica e profissional suficientes para ser um mentor, há o risco de que ele exerça esse papel sem a competência para isso, podendo causar mais prejuízo do que benefício dentro do processo.

 

Ou seja, se o profissional ainda não alcançou grandes feitos ou teve vivências diversas e suficientes em sua trajetória profissional, como ele instigará e desenvolverá outros profissionais?

 

Para a contratação do Coach podemos seguir a mesma linha de raciocínio… Como um Coach ou uma empresa que atua com processos de Coaching e que não possui a certificação adequada para se capacitar na metodologia, poderão auxiliar no desenvolvimento do máximo potencial de outros?

 

Entender a diferença entre Coaching e Mentoring fica menos complexo, diante desses pontos. Podemos dizer que os dois são similares na medida que buscam apoiar pessoas a evoluírem e alcançarem seus objetivos.

 

No entanto, ambos possuem métodos e processos bem diferentes. E, ao ter lido esse artigo, acreditamos que você saberá identificar e escolher o processo que corresponde melhor à sua necessidade, escolhendo um profissional adequado para atender às suas expectativas.

 

Se você se interessou pela carreira de Coach e deseja otimizar os seus resultados, aprofundando-se nas ferramentas de Coaching, busque certificações reconhecidas pelo mercado, como a da Crescimentum.

Ferramentas de Coaching: potencializando Resultados!

Por Bárbara Viana, coach parceira da Crescimentum

 

Antes de falarmos de Ferramentas de Coaching, vamos começar definindo o que é o processo de Coaching. Segundo a ICF (International Coaching Federation) Coaching é “um processo instigante e criativo que visa liberar o potencial para a máxima performance”.

 

Esse processo ocorre com a parceria entre o coachee (cliente) e o Coach (profissional preparado e certificado). E, durante o processo de desenvolvimento do coachee, o coach utiliza diversas competências, técnicas e as tais Ferramentas de Coaching.

O que são as Ferramentas de Coaching?

Essas ferramentas são utilizadas visando auxiliar o coachee na sua jornada de descoberta e, de acordo com o tema da sessão, o Coach oferece recursos para expandir a consciência do coachee sobre o assunto que está em pauta.

 

As ferramentas de coaching potencializam o processo de autoconhecimento e apoiam o coachee na ampliação da autoconsciência, proporcionando maior clareza dos pontos trabalhados nas sessões.

 

Existem inúmeras ferramentas de Coaching que apoiam no desenvolvimento do processo. Algumas das mais conhecidas no mercado são:

  1. Resultados Esperados
  2. SWOT Pessoal
  3. Especificação de Objetivos
  4. Roda da Vida
  5. Dreamlist
  6. STOP
  7. Ganhos & Perdas
  8. Modelo Ideal
  9. Mesa de Mentores
  10. Road Map

Agora se focarmos em ferramentas de coaching de forma específica, podemos pensar em um segmento de clientes como o Coaching de Liderança, por exemplo, que é destinado a contribuir no desenvolvimento de coachees que são líderes.

 

Teremos ferramentas mais apropriadas para esse público, pois estas podem apoiá-los na atuação diária com seus liderados, auxiliando em uma gestão mais assertiva.

 

Olhando de forma direcionada para líderes, algumas ferramentas de coaching mais efetivas para serem sugeridas aos coachees nesse processos de coaching de liderança, são:

  1. Envolvimento Total
  2. Dimensões de Confiança
  3. Mapa de Influência
  4. Matriz de Empoderamento
  5. Feedback SCI
  6. DISC
  7. Motivadores
  8. Roda de Competências
  9. Perguntas Poderosas
  10. Modelo GROW

3 exemplos de Ferramentas de Coaching

Gostaria de destacar 3 dessas ferramentas como potencializadoras para o desenvolvimento de líderes.

1. Modelo GROW

O modelo GROW foi criado por John Whitmore, que ficou conhecido pelo seu livro “Coaching para Performance”. Esse modelo é um acrônimo: Goal (Meta), Reality (Realidade), Options (Opções) e What/When/Whom/Will (O Que deve ser feito/Quando/por Quem)

 

É um modelo de coaching que pode ser utilizado para nortear um processo de coaching ou utilizado como ferramenta.

 

Uma forma de usá-la é em reuniões com liderados ou em conversas de desenvolvimento, em que o Coach pode ajudar o Coachee Líder a desenvolver a competência de Líder Coach.

2. Perguntas Poderosas

São aquelas que propiciam reflexões, descobertas, insights, provocam novas soluções, incentivam a criatividade, estimulam a ação, geram opções, criam comprometimento e/ou novas perspectivas.

 

Alguns exemplos de Perguntas Poderosas:

A) O que você acredita sobre o seu Time?
B) Qual seria uma nova possibilidade para essa questão?
C) O que te impede de realizar isso?
D) Quantas formas diferentes existem para fazer isso?
E) Qual vai funcionar melhor pra você?
F) Qual o aprendizado você tira dessa situação?
G) O que eu posso fazer para te apoiar nesse projeto?
H) Como você gostaria de ser liderado?
I) O que você vai começar a fazer?
J) O que você vai parar de fazer?
K) O que você vai continuar fazendo?

Essa ferramenta contribui muito no dia a dia de um líder coach, ou seja, o profissional que utiliza as competência de Coaching para desenvolver seu time.

3. DISC

É uma ferramenta de Análise Comportamental, baseada na teoria DISC desenvolvida por William Moulton Marston em 1928, em seu livro “As emoções das pessoas normais”.

 

Os fatores analisados na ferramenta são: Dominância, Influência, Estabilidade e Conformidade. Todos esse fatores geram uma fonte de informações mostrando emoções observáveis, isto é, como uma pessoa é percebida pelos outros e como expressa o que está dentro dela.

 

O DISC é a linguagem universal do comportamento humano observável, proporciona expansão de autoconhecimento e autoconsciência sobre como você age, seu potencial, facilidades e dificuldades, tendências de tomada de decisão, delegação e estilo de liderança.

 

Tudo isso permite que entendamos, aceitemos e valorizemos cada vez mais a nós mesmos. E, quando esse caminho é mostrado para a gente, podemos fazê-lo com ainda mais competência com outros, uma vez que passamos a adquirir um novo nível de consciência e entendimento sobre o ele.

 

O ganho é inevitável em termos de melhores relações de confiança, comunicação mais assertiva, minimização de conflitos e maximização de resultados, tanto no âmbito profissional e pessoal.

 

“Para conseguir o melhor das pessoas, temos que acreditar que o melhor está lá. Mas como sabemos que está, o quanto está e como extraímos isso?” John Whitmore

 

Os conceitos, abordagens, técnicas e ferramentas de coaching são fundamentais para o sucesso do processo, e para auxiliarmos o Coachee a extrair seu melhor.

 

Entretanto, existe uma premissa que diz: o protagonista do processo é, e sempre será, o seu Coachee.

Coaching de Carreira: transforme a vida profissional dos Coachees

Por Ilana Wilder, coach parceira da Crescimentum

 

Já ouviu falar em Coaching de Carreira? A massificação do termo Coach e Coaching tem produzido muita confusão no mundo do trabalho. Existe coach de tudo… o que não significa que tudo seja Coaching com C maiúsculo.

 

E como se diferenciar e realmente fazer um trabalho que impacte positivamente a vida do Coachee?

O impacto positivo do Coaching de Carreira

Uma pesquisa recente da Harris Interactive revelou a seguinte estatística no que se refere a satisfação no trabalho pelos norte-americanos:

  • 45% dos trabalhadores americanos dizem que estão satisfeitos ou extremamente satisfeitos em seu trabalho
  • Apenas 20% sentem-se extremamente apaixonados com relação ao seu trabalho
  • 33% acreditam que chegaram a um beco sem saída em suas carreiras
  • 21% tem vontade de mudar de carreira
  • Trabalhadores mais antigos são os mais satisfeitos e engajados em seu trabalho
  • Segurança no trabalho, plano de saúde e desenvolvimento pessoal são mais valorizados que salário extra

 

Esta pesquisa exemplifica uma realidade em que poucas pessoas estão felizes com seu trabalho. Normalmente isso ocorre devido ao trabalho não estar alinhado com suas paixões, seu propósito e pontos fortes.

Deixando um legado

O Coaching de Carreira oferece a oportunidade de descoberta da vocação, pontos fortes, valores e o legado que o Coachee deseja deixar no mundo, com o grande objetivo de uma vida mais gratificante.

 

A realização profissional depende de diversos fatores e está intrinsicamente relacionada aos Valores e Missão do indivíduo.

 

Portanto, ter clareza, neste sentido, faz toda a diferença no acordar às segundas-feiras pela manhã ou ao lidar com um cliente/colega de trabalho difícil.

 

Ter clareza da Missão e Valores faz com que a trilha da Carreira e as oportunidades que por ventura aparecerem fiquem mais claras.

Quais as competências essenciais para trabalhar com Coaching de Carreira?

As competências do ICF (International Coach Federation) são um ótimo guia de trabalho e podem ser aplicadas neste nicho de atendimento da seguinte maneira:

  • A ética permeia todo e qualquer tipo de trabalho de coaching
  • É importante diferenciar o que é coaching de outplacement, mentoria, psicoterapia ou orientação vocacional, e orientar o coachee caso este não seja o momento ideal para este tipo de trabalho
  • Deve-se fazer um acordo inicial das expectativas, objetivos e formas de mensuração dos resultados, bem como da forma/horário/honorário das sessões, além de sobre direitos e responsabilidades
  • A confiança deve ser construída e mantida ao longo do processo. Preocupação genuína, acordos claros e manter as promessas, respeito e apoio, bem como encorajar novos comportamentos
  • O Coaching de Carreira demanda muita confiança por parte do coachee na capacidade e conhecimento do Coach
  • A presença em coaching é o que separa o bom coach do Coach (com C maiúsculo). É estar totalmente focado no Coachee e com a intenção de fazer o seu melhor: a presença possibilita o surgimento de insights, conexão e reforça a confiança
  • Já a escuta ativa, por exemplo, pressupõe a habilidade de focar-se totalmente no que está e não está sendo dito na sessão, entender o significado dado pelo Coachee
  • O questionamento instigante é amplamente utilizado no Coaching de Carreira, com a dedicação de várias sessões para levantamento de possibilidades, acessar os valores e delinear a missão
  • Quando conversamos com o Coachee sobre suas questões profissionais, o uso da Comunicação Direta é fundamental para a objetividade, a transparência e o aproveitamento do tempo da sessão
  • Um dos objetivos da qualquer sessão de Coaching é criar uma conscientização sobre o tema abordado, no caso do Coaching de Carreira, porém, a conscientização ocorre nas facilidades, talentos e paixões que o Coachee tem
  • A partir do momento que os dados são levantados, os questionamentos respondidos, e os talentos, paixões e valores identificados, passa-se para a fase de desenvolver ações: que podem ser mais questionamentos, entrevistas, pesquisas de mercado, pesquisas de cursos, entre outros
  • Com a maior parte das questões respondidas, fica mais fácil passar para o Planejamento e definição de Metas, que no caso do Coaching de Carreira focam no tema da vida profissional do Coachee
  • Como competência final, mas que permeia todo o processo, está a gestão de progresso e responsabilidades, que o coachee deve ter. Geralmente no processo de Coaching de Carreira, que tem um tempo de coleta de informações grande, esta competência é de fundamental importância para que o processo não se perca na rotina ou na Resistencia à Mudança do coachee.

Os 3 eixos

Tendo essas competências como pano de fundo, podemos focar na vida profissional baseado em três grandes eixos, para evitar que o Coachee mude de trabalho, mas caia na mesma situação que o fez querer mudar em primeiro lugar:

Conheça a si mesmo:

Quais são suas paixões? Quais suas fortalezas, habilidades? O que você quer aprender e como você quer contribuir?

Conheça a cultura corporativa:

Quanto você acredita/compartilha da missão da empresa? Quais são os reais valores da empresa? Com quem você quer trabalhar?

Conheça as necessidades:

O quanto a empresa precisa de mim? O quanto eu preciso da empresa?

As necessidades do Coaching de Carreira

Existem diversas ferramentas que auxiliam no processo de Coaching de Carreira, algumas gratuitas e outras devem ser contratadas.

 

Entretanto, a necessidade de utilização vai depender do processo e das características particulares de cada coachee. Alguns temas fundamentais a serem abordados com o auxílio de ferramentas: valores, missão, preferência de modo de trabalhar, necessidades, talentos/facilidades, linha da vida e pesquisa de campo.

 

A profundidade, estudo e maestria na utilização destas ferramentas é um dos grandes fatores que diferenciam um coach de um Coach (com C maiúsculo).

 

Uma ótima prática é a montagem em conjunto de uma planilha com os resultados das sessões, as possibilidades que se abrem de trabalho, carreira ou uma mudança interna no trabalho atual.

 

Ser um Coach de Carreira é trazer e ser um diferencial na vida do Coachee!

 

É co-construir uma rota clara, utilizar metodologia, ferramentas e seu conhecimento para fazer as perguntas poderosas que levam à reflexão/atenção e que levam à ação para gerar a transformação.

 

É trazer o brilho nos olhos. É realinhar a paixão pelo que se faz. É ajudar o Coachee a ter um Propósito de vida alinhado ao propósito no trabalho. Torne-se um coach certificado pela Crescimentum e colabore para a construção de um mundo melhor!

Coaching Empresarial: o que é e como alcançar a Alta Performance

Por Roberta Ribas, coach parceira da Crescimentum

 

O Coaching é um processo, instigante e criativo, onde um profissional preparado e certificado (Coach) ajuda uma pessoa (Coachee) a encontrar sua máxima potencialidade através de conversas transformadoras, focadas em objetivos previamente alinhados.

O que é o Coaching Empresarial?

O Coaching Empresarial é uma modalidade de Coaching direcionada a empresários, gestores e líderes que introduz a prática do Coaching nas organizações.

 

O objetivo é que os profissionais responsáveis pelo desempenho de pessoas, resultados individuais e de grupos, aprimorem ou desenvolvam habilidades necessárias para alcançar uma Alta Performance no ambiente empresarial.

 

A Alta Performance Pessoal obtida por meio do Coaching tem sido parte da visão estratégica do CEO da Crescimento, Arthur Diniz, para empresários e CEOs de empresas por todo o Brasil.

 

Ele aponta a importância do Coaching Empresarial como um fator de alavancagem para empresas que desejam se transformar e atingir níveis melhores de performance, e até mesmo atingirem o nível de Organizações Exponenciais.

 

Então, o Coaching Empresarial auxilia empresários, gestores e líderes a buscarem uma melhoria de performance com relação a competências novas ou já existentes.

 

Competências que eles próprios identificam como aquém de suas necessidades (ou da empresa) em termos de performance.

 

Ou então quando apontadas por líderes ou liderados, por meio de ferramentas apropriadas para este levantamento, como a Avaliação 360 graus.

 

Outra situação em que o Coaching Empresarial é recomendado, é quando na transferência de área de um gestor ou líder, seja por uma promovido ou mudança para nova função, necessitando desenvolver competências novas e diferentes.

Melhoria de Performance

Com frequência que nos deparamos com empresários, gestores e líderes que nos relatam pontos a serem desenvolvidos para a melhoria de sua performance.

 

Por exemplo: melhorar a comunicação, estar mais presente, criar melhores relações no trabalho, aumentar a autoconfiança, liderar melhor a equipe, exercer uma maior influência, ter equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, desenvolver pessoas, entre outros.

 

Neste último – desenvolver pessoas – quando perguntamos aos empresários, gestores e líderes quanto tempo eles têm se dedicado a desenvolver pessoas, eles não sabem mensurar.

Estatísticas

Uma pesquisa realizada com líderes de RH nos EUA e publicada em maio/junho de 2018 na revista HBR – Harvard Business Review revelou que as áreas de RH esperam que os gestores e líderes de suas organizações gastem 36% de seu tempo desenvolvendo pessoas e equipes.

 

Quando a medição foi feita com os 7.500 gestores e líderes das 2.500 empresas que participaram do estudo, o resultado mostrou que a média real de dedicação para desenvolver pessoas e equipes é de apenas 9%.

 

Por isso, analisando o resultado desta pesquisa, chegamos à conclusão que o ambiente empresarial no Brasil deve estar no nível de 9%, ou mesmo abaixo, e que se os empresários e líderes têm pontos a desenvolver e a melhorar na busca da Alta Performance Pessoal, eles terão muito mais dificuldades em realizar isso apenas com recursos internos.

 

Eles precisarão de profissionais de Coaching Empresarial para auxiliar as organizações a desenvolver uma melhor performance e resultados.

 

Um outro olhar sobre Coaching Empresarial é perguntar às lideranças onde estão os maiores problemas de desempenho e do resultado na organização.

 

Geralmente colhemos uma longa lista de problemas nos processos do negócio, que são desempenhados por pessoas. Então a ligação entre processos, pessoas e resultado é estreita e muito forte, motivo pelo qual o Coaching Empresarial traz resultados mensuráveis para as organizações.

Mas como um processo de Coaching Empresarial ocorre?

Em linhas gerais, o processo começa com a área de RH patrocinando um Programa de Coaching Empresarial em conjunto com a alta direção da empresa, como o CEO, Gerente Geral, etc., acompanhada das diretorias ou gerências sêniores.

 

Em seguida, são procurados profissionais com formação e certificação em Coaching por empresas licenciadas para esta formação, e quando contratados, são alocados neste projeto, podendo ter dedicação exclusiva ao projeto ou a um grupo específico de pessoas na empresa.

 

Esta contratação pode ocorrer de forma direta (Coach – Empresa), ou através de uma empresa que fica responsável pela gestão do projeto que aciona profissionais certificados por ela para alocação no projeto (Empresa Gestora do Projeto – Coaches – Empresa Cliente).

E o que é desenvolvido em um processo de Coaching Empresarial?

É estabelecido o objetivo de cada sessão com o participante (Coachee) onde o Coach o convida a sair de sua zona de conforto e procurar formas de criar um novo movimento em direção ao objetivo da sessão e ao objetivo principal do seu processo estabelecido entre a Empresa e o Coachee.

 

O trabalho do Coach é então conduzir o Coachee a autorreflexões e buscar possibilidades para vencer o seu desafio (objetivo) estabelecido. E, é por meio desse processo que ocorre o desenvolvimento de competências e a melhoria contínua.

E os resultados?

Os resultados são alcançados dentro dos objetivos da organização e dos participantes. Podemos citar, por exemplo, melhoria e mudança de comportamento, expansão do autoconhecimento, ganho de novas competências, maior alinhamento com a visão da empresa e metas, clareza quanto a performance e carreira, conversas mais produtivas, melhoria nos relacionamentos, etc.

E eu posso ser um profissional Coach Empresarial?

Após obter sua certificação profissional em coaching, você terá os conhecimentos fundamentais para atuar como um profissional independente, um especialista em processos de mudança dentro da sua organização (se você for um gestor de RH ou líder de área), ou como um coach independente.

 

O mercado para Coaching Empresarial é novo e com um potencial de crescimento exponencial. As empresas estão apenas começando a reconhecer sua importância como ferramenta de melhoria contínua. Além disso buscam profissionais preparados para auxiliá-las na transformação de seus gestores e líderes.

 

A ABRH – Associação Brasileira de Recursos Humanos estimou em novembro de 2018 que apenas 350 das 1.000 maiores empresas no Brasil experimentaram um processo de Coaching Empresarial.

 

Portanto, se você tem o desejo de ajudar pessoas a alcançarem todo o potencial que têm, ou mesmo deseja fazer uma transição de carreira para o Coaching e estabelecer uma nova profissão, este é o melhor momento para fazer essa mudança! Conte com a Crescimentum para essa nova fase, com a Certificação Profissional em Coaching, acesse o link e saiba mais.

 

 

Coaching: Perguntas Poderosas?

Por Marco Fabossi, sócio-diretor da Crescimentum

 

O poder de uma pergunta não está em sua complexidade, mas na profundidade da reflexão que ela causa e nos insights que produz, por isso, ainda que simples, as perguntas podem ser muito poderosas e nos conduzir à boas reflexões, descobertas, ideias, ações e conquistas.

 

Acredito que você tenha estabelecido objetivos importantes para sua vida neste ano, certo? Pois bem, escolha um deles e faça as quatro perguntas que sugiro a seguir. São perguntas simples, mas poderosas, que, respondidas com sinceridade e acompanhadas de ações concretas, certamente produzirão resultados extraordinários em sua vida!

 

Por quê? Procure encontrar o propósito mais profundo e verdadeiro que sustentará aquilo que você deseja, e este propósito o(a) manterá vivo(a) e entusiasmado(a). Entenda as razões e os motivos verdadeiros daquilo que busca.

 

Pergunte-se: Por que eu devo fazer isso? Por que isso é importante pra mim? Entenda os motivos mais profundos pelos quais isso deve ser feito. Enquanto não houver clareza de propósito, os “motivos para a ação” (motivação), serão frágeis e insuficientes para conduzi-lo(a) em direção àquilo que deseja.

 

Enfim, encontre o verdadeiro propósito de suas escolhas e, quando possíveis obstáculos surgirem, lembre-se dele. Isso lhe trará força, motivação e entusiasmo para manter o foco, disciplina e persistência necessários para conquistar aquilo que deseja.

 

Por que não? O que o(a) impede de fazer isso? Muitas vezes, seguimos demorando pra fazer alguma coisa, simplesmente porque achamos que deveríamos ter feito antes, e julgamos ser tarde pra fazê-la agora… mas, por que não?

 

Se responder sinceramente, descobrirá que não existem motivos reais para deixar de fazer o que tanto deseja. Então, por que não começar algo novo? Por que não criar novos hábitos?

 

Por que não começar a fazer atividade física? Por que não parar de fumar? Por que não escrever um livro? Por que não voltar a estudar? Por que não arriscar? Por que não?

 

Por que não eu? Se alguém tem que fazer algo por você, esse alguém é você! Quando encontramos o verdadeiro propósito para fazer algo, e descobrimos que nada nos impede de fazê-lo, a próxima pergunta é “por que não eu?”.

 

Alguém tem que começar a fazer esse “negócio”! Alguém precisa começar a falar mais “eu te amo” nesse relacionamento: por que não eu? Alguém tem que propor uma nova ideia: por que não eu?

 

Alguém tem que começar a reconstruir as relações de confiança na equipe: por que não eu? Alguém tem que perdoar: por que não eu? Alguém tem que dar o primeiro passo: por que não eu?

 

Por que não agora? Como disse Chico Xavier, “Ninguém pode voltar atrás e fazer um novo começo. Mas qualquer um pode recomeçar e fazer um novo fim”, e o melhor momento para começar a fazer esse “novo fim” é agora.

 

Se alguma coisa tem que ser feita, se não há razões concretas para que isso não seja feito e, se você mesmo pode fazer, então a última pergunta poderosa é: Por que não agora? Talvez esteja esperando pelo “momento perfeito”, mas o melhor momento é agora.

 

É por isso que o “agora” se chama “presente”: um presente de Deus para que você faça o que precisa ser feito. Então, por que não agora?

Portfolio Items