Posts

Ferramentas de coaching que ajudam na liderança estratégica

Cada vez mais ouvimos falar de liderança estratégica. Isso porque, em um contexto de tantas transformações, devemos nos questionar: qual será o meu papel como líder no século XXI? 

 

Olhando para um futuro próximo, onde a grande maioria dos colaboradores das empresas será da geração Y, contemporânea à internet e às novas tecnologias e com uma visão do mercado de trabalho nada tradicional, os líderes que ainda acreditam no modelo do “eu mando e você obedece” estão com os dias contados.

 

O que é uma liderança estratégica?

Um líder estratégico é o líder capaz de utilizar competências (suas e da equipe), a fim de que todos alcancem os resultados propostos, dando o seu máximo e estando em sua melhor versão. 

 

O novo perfil de líderes procurados pelas empresas será de profissionais diferenciados, com habilidades para liderar de forma assertiva, dispostos a ensinar e acompanhar cada um de seus colaboradores.

 

Dessa forma, um líder estratégico é aquele capaz de:

  • Delegar tarefas;
  • Inspirar pessoas;
  • Conduzir processos;
  • Motivar o time;
  • Gerar inovação;
  • Manter o equilíbrio;
  • Co-criar com a equipe;
  • Alcançar objetivos;
  • Construir um ambiente de evolução constante.

 

Líderes que saibam mobilizar sua equipe para que mantenham a motivação sempre em alta, auxiliando-a na busca da inovação, na manutenção do equilíbrio e na evolução contínua do time ganham destaque.

  

Mas como conciliar todas as demandas acima mencionadas?

O Líder Coach pode ser o melhor caminho, pois este acredita nos resultados a partir do desenvolvimento, do autoconhecimento, da conexão com seus liderados e da vulnerabilidade.

 

Para que isso aconteça, esse novo líder tem a seu favor poderosas ferramentas de coaching que irão auxiliá-lo nessa jornada. Mas antes de qualquer coisa, esse líder deverá saber a diferença entre gerenciar e liderar.

 

Deve ficar claro que um gestor é quem gerencia processos, metas, orçamentos, controles, entre outros fatores. Já o líder, é quem deve desenvolver e faz a gestão de pessoas.

 

Quando o líder consegue o equilíbrio entre essas duas funções, seu desempenho é um sucesso.

 

Como coloca Marco Fabossi, coach e sócio-diretor da Crescimentum, essa relação:

 

É como andar de bicicleta, onde as duas rodas precisam andar em plena harmonia e de forma ordenada.

 

Nessa analogia, a roda traseira representa a gestão, que movimenta o negócio. São os processos, infraestrutura, metas, orçamentos e controles. Mas para que isso aconteça, precisamos de pessoas, e essas seriam representadas pela roda dianteira, que dá a direção a ser seguida

 

A falta de coordenação entre ambas fará com que a bicicleta não mantenha sua trajetória da forma desejada, e seu empenho estará comprometido.

 

Com as ferramentas de coaching, líderes possuem alternativas para diversos tipos de situações. Podemos citar algumas ferramentas como:

 

1- Envolvimento Total – Equilíbrio das Energias

O conceito do Envolvimento Total pode se tornar uma excelente ferramenta para que líderes alcancem resultados extraordinários por meio do equilíbrio das quatro dimensões de energia (espiritual, mental, emocional e física).

 

A partir de uma avaliação sobre as quatro dimensões do Envolvimento Total, o coach de líderes poderá fazer perguntas poderosas que ajudem no processo de autoconhecimento do coachee. 

 

2- Feedback

O feedback é muito eficaz na gestão de pessoas, auxiliando no crescimento pessoal e profissional do liderado. O grande desafio é como oferecê-lo de forma adequada e estruturada, e como saber recebê-lo.

 

Alguns líderes focam apenas no ato de dar feedbacks, mas pesquisas demonstram que os líderes que mais pedem feedbacks são aqueles que mais apresentam eficácia em suas lideranças.

 

3- Perfis Comportamentais – DISC

A ferramenta DISC permite compreender melhor como os nossos perfis naturais maximizam talentos e facilidades, e como pessoas diferentes reagem às mesmas situações de formas diferentes.

 

Os perfis estão organizados em quatro quadrantes: D (dominância), I (influência), S (estabilidade), C (conformidade).

 

Quando um Líder Coach identifica essas diferenças comportamentais, direciona suas perguntas e propostas de forma específica para cada colaborador, e esse poderá se sentir mais motivado e engajado.

 

4- Mapa do Empowerment – Delegação de poderes

Permite ao Líder Coach uma experiência de avaliação individual sobre o liderado e suas respectivas atividades, com o foco de aumentar a consciência sobre quais executar, criar ou delegar.

 

5- Gestão do tempo – A Tríade do Tempo

Christian Barbosa, autor do livro “A tríade do tempo”, traz o conceito de 3 esferas de importância sobre o gerenciamento do tempo (da importância, urgência e circunstâncias).

 

Com essa ferramenta, as pessoas classificam suas atividades de acordo com cada uma dessas esferas, e conseguem aproveitar o tempo disponível da melhor forma

 

6- 4 quadrantes pessoais

Fortalece enunciados de missão e clarifica as relações entre a contribuição e o impacto que o indivíduo deseja gerar. Exploram-se as Visões Pessoal e Externa, assim como as Missões Pessoal e Externa.  

 

7- Declaração de Missão

Uma conversa guiada sobre propósito pode levar o indivíduo a uma reflexão que envolverá talento (capacidade de fazer excepcionalmente bem), valores (aquilo que realmente é bom para si), paixão (aquilo que gosta de verdade) e contribuição (o que o mundo precisa, e o que gostaria de fazer para que ele seja melhor).

 

Seja um líder extraordinário!

Essas são apenas algumas das mais variadas ferramentas de coaching à disposição do Líder Coach, que é o líder que ajuda as pessoas a chegarem a lugares aos quais, sozinhas, não conseguiriam chegar.

 

Nessa jornada, o Líder Coach combina ferramentas de liderança e coaching, mas o mais importante disso tudo vai além da técnica utilizada. A intenção genuína de ajudar as pessoas a se transformarem em uma versão melhor delas mesmas é o que realmente importa.

 

Se você deseja aprimorar suas competências de líder e se readequar às novas necessidades do mercado, conheça a Formação em Coaching de Liderança e potencialize a performance de sua equipe por meio do Coaching!

 

Por Rodrigo Proença, líder coach e parceiro da Crescimentum 

Ferramentas de Coaching: potencializando Resultados!

Por Bárbara Viana, coach parceira da Crescimentum

 

Antes de falarmos de Ferramentas de Coaching, vamos começar definindo o que é o processo de Coaching. Segundo a ICF (International Coaching Federation) Coaching é “um processo instigante e criativo que visa liberar o potencial para a máxima performance”.

 

Esse processo ocorre com a parceria entre o coachee (cliente) e o Coach (profissional preparado e certificado). E, durante o processo de desenvolvimento do coachee, o coach utiliza diversas competências, técnicas e as tais Ferramentas de Coaching.

O que são as Ferramentas de Coaching?

Essas ferramentas são utilizadas visando auxiliar o coachee na sua jornada de descoberta e, de acordo com o tema da sessão, o Coach oferece recursos para expandir a consciência do coachee sobre o assunto que está em pauta.

 

As ferramentas de coaching potencializam o processo de autoconhecimento e apoiam o coachee na ampliação da autoconsciência, proporcionando maior clareza dos pontos trabalhados nas sessões.

 

Existem inúmeras ferramentas de Coaching que apoiam no desenvolvimento do processo. Algumas das mais conhecidas no mercado são:

  1. Resultados Esperados
  2. SWOT Pessoal
  3. Especificação de Objetivos
  4. Roda da Vida
  5. Dreamlist
  6. STOP
  7. Ganhos & Perdas
  8. Modelo Ideal
  9. Mesa de Mentores
  10. Road Map

Agora se focarmos em ferramentas de coaching de forma específica, podemos pensar em um segmento de clientes como o Coaching de Liderança, por exemplo, que é destinado a contribuir no desenvolvimento de coachees que são líderes.

 

Teremos ferramentas mais apropriadas para esse público, pois estas podem apoiá-los na atuação diária com seus liderados, auxiliando em uma gestão mais assertiva.

 

Olhando de forma direcionada para líderes, algumas ferramentas de coaching mais efetivas para serem sugeridas aos coachees nesse processos de coaching de liderança, são:

  1. Envolvimento Total
  2. Dimensões de Confiança
  3. Mapa de Influência
  4. Matriz de Empoderamento
  5. Feedback SCI
  6. DISC
  7. Motivadores
  8. Roda de Competências
  9. Perguntas Poderosas
  10. Modelo GROW

3 exemplos de Ferramentas de Coaching

Gostaria de destacar 3 dessas ferramentas como potencializadoras para o desenvolvimento de líderes.

1. Modelo GROW

O modelo GROW foi criado por John Whitmore, que ficou conhecido pelo seu livro “Coaching para Performance”. Esse modelo é um acrônimo: Goal (Meta), Reality (Realidade), Options (Opções) e What/When/Whom/Will (O Que deve ser feito/Quando/por Quem)

 

É um modelo de coaching que pode ser utilizado para nortear um processo de coaching ou utilizado como ferramenta.

 

Uma forma de usá-la é em reuniões com liderados ou em conversas de desenvolvimento, em que o Coach pode ajudar o Coachee Líder a desenvolver a competência de Líder Coach.

2. Perguntas Poderosas

São aquelas que propiciam reflexões, descobertas, insights, provocam novas soluções, incentivam a criatividade, estimulam a ação, geram opções, criam comprometimento e/ou novas perspectivas.

 

Alguns exemplos de Perguntas Poderosas:

A) O que você acredita sobre o seu Time?
B) Qual seria uma nova possibilidade para essa questão?
C) O que te impede de realizar isso?
D) Quantas formas diferentes existem para fazer isso?
E) Qual vai funcionar melhor pra você?
F) Qual o aprendizado você tira dessa situação?
G) O que eu posso fazer para te apoiar nesse projeto?
H) Como você gostaria de ser liderado?
I) O que você vai começar a fazer?
J) O que você vai parar de fazer?
K) O que você vai continuar fazendo?

Essa ferramenta contribui muito no dia a dia de um líder coach, ou seja, o profissional que utiliza as competência de Coaching para desenvolver seu time.

3. DISC

É uma ferramenta de Análise Comportamental, baseada na teoria DISC desenvolvida por William Moulton Marston em 1928, em seu livro “As emoções das pessoas normais”.

 

Os fatores analisados na ferramenta são: Dominância, Influência, Estabilidade e Conformidade. Todos esse fatores geram uma fonte de informações mostrando emoções observáveis, isto é, como uma pessoa é percebida pelos outros e como expressa o que está dentro dela.

 

O DISC é a linguagem universal do comportamento humano observável, proporciona expansão de autoconhecimento e autoconsciência sobre como você age, seu potencial, facilidades e dificuldades, tendências de tomada de decisão, delegação e estilo de liderança.

 

Tudo isso permite que entendamos, aceitemos e valorizemos cada vez mais a nós mesmos. E, quando esse caminho é mostrado para a gente, podemos fazê-lo com ainda mais competência com outros, uma vez que passamos a adquirir um novo nível de consciência e entendimento sobre o ele.

 

O ganho é inevitável em termos de melhores relações de confiança, comunicação mais assertiva, minimização de conflitos e maximização de resultados, tanto no âmbito profissional e pessoal.

 

“Para conseguir o melhor das pessoas, temos que acreditar que o melhor está lá. Mas como sabemos que está, o quanto está e como extraímos isso?” John Whitmore

 

Os conceitos, abordagens, técnicas e ferramentas de coaching são fundamentais para o sucesso do processo, e para auxiliarmos o Coachee a extrair seu melhor.

 

Entretanto, existe uma premissa que diz: o protagonista do processo é, e sempre será, o seu Coachee.