Posts

dicas para meditação

8 dicas para você fazer da meditação um hábito de bem-estar

Se você ouvisse dizer que existe uma receita para reduzir a ansiedade, dormir melhor, melhorar o foco, relaxar, lidar com problemas de saúde, entre outros, você experimentaria? Essa receita existe e não é nada nova: estou falando da meditação. 

A meditação é uma prática única que pode ser realizada de diferentes maneiras, mas que traz os mesmos múltiplos resultados.

“Perguntaram ao Buda: O que você ganhou com a meditação? Ele respondeu: nada. Mas deixe-me dizer o que perdi: ansiedade, raiva, depressão, insegurança, medo da velhice e da morte.”

O que é a meditação?

As grandes religiões orientais já conhecem e utilizam a meditação há 2.500 anos. Iniciada na Índia e difundida em toda a Ásia, a prática começou a se popularizar no ocidente com o guru Maharishi Mahesh Yogi, que nos anos 1960 convenceu os Beatles a atravessarem o planeta para aprenderem a meditar.

Alguns mitos ou crenças sobre a meditação que podem te impedir de experimentar:

  • Pessoas ansiosas, impacientes ou aceleradas não conseguem meditar;
  • Eu adoraria, mas não tenho tempo;
  • Já fiz aula de Yoga, mas não gostei;
  • Meus ambientes são muito barulhentos;
  • Minha mente não para;
  • Para meditar eu preciso ser um buda solitário no topo da montanha;
  • Meditar é muito difícil;
  • Já sou calmo e equilibrado, então não é para mim.

Se você chegou até aqui, talvez tenha curiosidade de experimentar ou tentar novamente incorporar isso em sua rotina.

Mas fazer da meditação uma atividade diária só será possível se você for prioridade para você.

Você está disposto a dedicar alguns minutos diários para você? Se sim, pode continuar a ler o artigo!

8 dicas especiais para a meditação

Para começar a praticar a meditação você também precisará de coragem. Coragem para se permitir ficar em silêncio, mergulhar para dentro de si mesmo e ouvir seus pensamentos, sentimentos e a sua intuição.

Vamos juntos? Preparei 8 dicas especiais sobre a meditação que podem te ajudar a dar início a essa prática:

1- Seja um observador dos seus pensamentos

É impossível não pensar em nada. Os pensamentos vão ir e vir, e tudo bem! 

Comece a exercitar ser um observador dos seus pensamentos e sentimentos. O que eles estão querendo dizer a você? Quando vierem, imagine que os pensamentos são como nuvens, deixe que venham e deixe que vão.

Simplesmente volte a se concentrar na sua respiração.

2- Você pode mudar seu estado presente mudando a sua respiração

O seu corpo fala com você por meio da sua respiração.

A respiração é a principal base da meditação e é um dos remédios mais eficazes para sua saúde emocional. Ficar em silêncio, sentado ou deitado, e se concentrar na sua respiração, ajuda a acalmar, relaxar e notar seu estado interno.

Observe a sua respiração. Se ela estiver muito curta, pode significar ansiedade. Então, concentre-se em deixá-la mais longa e calma.

Se estiver muito devagar e fraca, aumente um pouco a quantidade de ar que coloca para dentro de si. 

3- Sua mente está onde você coloca atenção

Quando alguém está enfrentando dificuldades ou sofrendo por algum motivo, talvez você possa pensar que o correto é sofrer junto com a pessoa.

Mas o melhor a fazer é cuidar da sua energia, porque ela reverbera para o seu entorno. Para sua família, amigos, para o planeta e para alguém que você queira ajudar. Somos todos um.

Se você ficar assistindo notícias tristes ou trágicas durante boa parte do seu dia, você estará direcionando a sua mente para estes locais e sentimentos. Escolha dar atenção e colocar foco em coisas positivas e direcione sua mente para estes locais.

Se vier um pensamento negativo, lembre que você tem o poder de levar sua mente para outro local mais positivo ao escolher trocar este pensamento.

4- Expansão do olhar e consciência 

Mesmo de olhos fechados, perceba o que você vê e escuta. A meditação favorece a intuição e talvez algumas respostas possam vir à sua mente ao som da sua própria voz.

É possível começar uma meditação em busca de uma resposta para um problema, por exemplo, e obter essa resposta durante a prática. 

Para isso, você precisa se permitir e estar aberto a expandir o seu olhar, a sua consciência e deixar vir o que vier. Tudo o que vier é bem-vindo. Se for bom, deixe que fique. Se for ruim, deixe que vá.

5- Estado de presença

Quando há excesso de futuro e pouca presença, podem surgir sintomas como: inquietação, ansiedade, tensão, estresse e preocupação.

Já quando há excesso de passado e pouca presença, os principais sintomas são: culpa, arrependimento, ressentimento, mágoa, tristeza, amargura e todas as formas de ausência de perdão.

No presente, está tudo bem. Esteja onde seus pés estão para aproveitar melhor a jornada e cada momento do seu dia.

Ficamos esperando que a alegria chegará depois da formatura, do casamento, do nascimento, da viagem, da promoção, da loteria, da eleição, da casa nova, da separação, da aposentadoria… É uma longa lista!

Mas a alegria não mora no futuro, ela mora no presente.

6- Dar pequenos passos é melhor do que não dar nenhum 

Para fazer da meditação um hábito é preciso ter constância. Para isso, é preferível meditar três minutos por dia, todos os dias, do que uma hora uma vez na semana.

Respeite seus limites, estipule uma meta e cumpra para que possa experimentar os benefícios. Depois, vá aumentando este tempo aos poucos.

Se, por algum motivo, você não fizer um dia, não desista. Retome no dia seguinte e busque fazer disso um hábito.

Lembre-se de que você está se dando este momento de presente. Este é um mergulho para dentro de você. Seja por três minutos ou trinta, é para você. Então, aproveite.

7- Seu jeito é o jeito certo

Talvez você prefira meditação guiada ou apenas ficar em silêncio. Alguns gostam de música e outros não.

Muitas pessoas meditam para começar o dia e outras preferem antes de dormir. Há quem medite duas vezes ao dia, de manhã e de noite.

Sentado ou deitado. Com incenso ou sem. Em uma sala preparada para isso ou em qualquer ambiente. Contando os tempos da respiração ou respirando livremente.

Encontre o que funciona melhor para você.

8- Sorria

Gosto muito do filmeComer, Rezar e Amar”, em que a personagem principal Liz passa um período em Bali, na Indonésia, depois de ter feito um retiro na Índia. Lá, ela convive com o Mestre Ketut, que transmite vários ensinamentos a ela.

Em um dos trechos do filme, o mestre dá uma dica sobre meditação balinesa para Liz:

“Fique sentada em silêncio e sorria. Cara séria assusta as boas energias. Para meditar você só precisa sorrir. Sorrir com o rosto, sorrir com a mente e a boa energia virá até você. Sorrir até com seu fígado.”

Sentar em silêncio e sorrir, assim como respirar, automaticamente muda o seu estado emocional.

Está pronto para começar?

Qual das dicas você mais gostou? Está pronto para começar a meditar?

Nós da Crescimentum, oferecemos meditação em nossos treinamentos desde 2003. Acreditamos muito no poder dessa prática para a vida pessoal e profissional e, especialmente agora, temos utilizado a meditação para atravessar essa fase.

Com o isolamento social, lançamos o Medita Crescimentum, um projeto para ampliar a prática da meditação a todos os nossos clientes, parceiros, fornecedores e amigos, criando uma grande comunidade para essa troca de energia e bem-estar coletivo.

Venha experimentar, de segunda a sexta, às 08h30 pelo Instagram da Crescimentum. A live fica disponível por 24 horas e você pode praticar de acordo com a sua rotina, quando preferir. 

Participe e convide seus amigos, colegas e a família para estarem com você!

 

Por Renata Andraus, trainer da Crescimentum 

 

O Cérebro não tem Calendário

Por Marco Fabossi, sócio-diretor da Crescimentum

Uma repórter perguntou à uma jovem e talentosa violinista sobre o segredo de seu sucesso, e ela respondeu:

– O segredo do meu sucesso é a negligência planejada.

Ao perceber que a repórter queria saber mais sobre o assunto, ela então explicou:

– Durante a minha infância e adolescência havia muitas coisas que exigiam o meu tempo. Depois do café da manhã, eu arrumava a cama, colocava meu quarto em ordem, varria o chão e fazia tudo aquilo que era supostamente importante. Só depois de tudo isso é que eu corria para estudar violino. Com o tempo descobri que estava progredindo menos do que gostaria, e decidi inverter as coisas. Enquanto o tempo de estudar violino não acabava, eu deliberadamente negligenciava todas as outras coisas. Esse programa de negligência planejada, a meu ver, é o grande responsável pelo meu sucesso como violinista.


As recentes descobertas da neurociência têm trazido muitos ensinamentos sobre o funcionamento do cérebro e o seu impacto no comportamento humano. Dois deles são que o cérebro humano tem uma capacidade de transformação e aprendizagem praticamente infinita, ao que os neurocientistas chamam de Neuroplasticidade. E o outro é que o cérebro aprende de duas maneiras: repetição e emoção.

Traduzindo essas constatações da neurociência, podemos chegar à duas importantes conclusões:

  • Qualquer novo conhecimento, comportamento ou habilidade podem ser aprendidos;
  • Mas para que esse novo conhecimento, comportamento ou habilidade se estabeleça, é preciso que haja repetição e uma boa dose de emotividade ou significado naquilo que está sendo aprendido.

É importante, portanto, conscientizar-se de que o cérebro não tem calendário, ou seja, pra ele não importa se é segunda-feira ou sábado; ele continua aguardando mais uma repetição daquele conhecimento, comportamento ou habilidade que você está tentando desenvolver, para que possa reforçar cada vez mais as conexões neurais, até que isso se torne um hábito. Por isso, para o cérebro é muito mais produtivo que você faça algo durante dez minutos todos os dias, do que deixar pra praticar uma hora no final de semana, por exemplo.

Portanto, se você quer meditar, fazer atividade física, dizer mais “eu te amo” para as pessoas do seu convívio, melhorar sua capacidade de relacionamento e liderança, aproximar-se mais de alguém que ama, falar fluentemente outro idioma, aprender algo novo, enfim, adquirir ou reforçar um conhecimento, comportamento ou habilidade, será preciso fazê-lo todos os dias. Lembre-se, o cérebro precisa de repetição pra aprender. E, pra tornar essa repetição mais prazerosa e motivadora, torne-a importante pra você; conecte-a com um objetivo e um propósito.

No início pode até ser chato meditar, e isso pode desmotivá-lo, mas se você conectar esses momentos com algo que lhe ajude a ser menos ansioso, que traga maior presença, equilíbrio, serenidade, e que consequentemente melhorará sua qualidade de vida, seu humor e os resultados no dia a dia, haverá mais motivação e significado para que você persista. E isso se aplica a tudo o que quiser desenvolver.

Ajude seu cérebro a ajudar você!