Posts

4 dicas para liderar equipes em home office

Se você está enfrentando dificuldades para liderar equipes em home office, você não está sozinho.

A maioria das lideranças do mundo está diante do desafio de gerir a empresa neste momento de crise e, ao mesmo tempo, olhar para o bem-estar dos colaboradores e da família, sem perder o foco nos clientes e no negócio.

Por outro lado, os colaboradores precisam equilibrar o seu ambiente familiar com o trabalho, gerindo suas emoções e expectativas. 

Neste artigo, falo mais profundamente sobre como podemos superar os desafios gerados pelo trabalho remoto, trazendo boas práticas de gerenciamento de equipes em home office. 

Home office: o que fazem as empresas de sucesso?

Muitas empresas já praticavam o home office e outras estão sendo forçadas a implementar agora essa prática em suas rotinas.

A pandemia do Coronavírus deve fazer com que o trabalho remoto cresça 30% após o período de estabilização dos casos e retomada das atividades, segundo estudo do professor da FGV (Fundação Getulio Vargas), André Miceli.

Uma pesquisa, realizada pela consultoria Betania Tanure Associados (BTA) com 359 empresas brasileiras mostrou que 43% adotaram o home office em função do Coronavírus.

Mais de 60% das empresas que participaram da pesquisa, consideram como principais desafios:

  • Adaptação das atividades presenciais para virtuais
  • Gerenciamento remoto de pessoas

Então, como se adaptar mais rapidamente a este cenário?

Em pesquisa da Great Place to Work, verificamos que, entre as 150 Melhores Empresas Para Trabalhar no Brasil, 65% apostam na prática de home office, 83% no horário flexível e 60% em day off.  

Abaixo, trago alguns cases de empresas que aderiram ao trabalho remoto como medida de prevenção ao Coronavírus e as alternativas que têm encontrado para superar os desafios do home office. 

4all

Nesta empresa de tecnologia, para viabilizar o home office do time de relacionamento, por exemplo, a equipe de Infraestrutura habilitou uma função de redirecionamento de chamada.

Quando os clientes ligam para o setor, o telefone toca três vezes na sede e o quarto toque passa a tocar no aparelho celular. Com isso, conseguem fazer essa função remotamente e sem impactar a qualidade do atendimento.

CBA (Companhia Brasileira de Alumínio)

O home office é incentivado considerando cada tipo de atividade desempenhada pelo profissional. O RH atua conscientizando os líderes para incorporarem isso no gerenciamento de suas equipes.

Algumas áreas fazem rodízio de trabalho em home office e sabem com antecedência a programação para que possam se planejar.

Cisco

O atual CEO da organização no Brasil, Laércio, comenta sobre seu processo seletivo: “fui contratado e comecei a trabalhar na Cisco sem ter falado com ninguém da empresa pessoalmente”.

O trabalho remoto faz parte da cultura da empresa e, para que isso funcione, disponibilizam plataformas como o WebEx, para que os colaboradores possam se conectar em qualquer lugar, e por meio de qualquer aparelho. 

Em alguns casos, instalam roteador, telefone e equipamento de Telepresença e oferecem ajuda de custo com banda larga.

Hospital Albert Einstein

O hospital iniciou um programa home office em 2018 dividido em três fases com 1.799 colaboradores. Uma pesquisa interna feita no período apontou um índice de satisfação geral de 97%.

Ao entrar no programa, o colaborador recebe um treinamento online e recebe as orientações necessárias para a execução de suas atividades de forma remota como: ergonomia, rotina de trabalho, planejamento familiar, etc.

Itaú Unibanco

Para facilitar a adaptação ao trabalho remoto, o banco oferece um guia para gestores e colaboradores com informações, regras, modelo de trabalho, ergonomia e canais de apoio.

Ivia

A Ivia disponibiliza online: controle de ponto, banco de ideias, contracheque, SAI – sistema de atendimento, sistema de competências, arquivos e templates que facilitam o acesso remoto.

Para os gerentes, toda a documentação (entrevistas, checklist, solicitações para o setor pessoal e solicitação para o diretor) de atividades é feita pela internet, o que otimiza o tempo de trabalho.

KingHost

Os gestores que trabalham em home office incentivam os colaboradores a minimizarem a distância por meio de ações como participação em reuniões via Skype e inclusão em ações por vídeo.

Além disso, para que todos estejam alinhados no que diz respeito a reuniões, são realizadas as gravações dos encontros entre os times presenciais. Na sequência, esses vídeos são disponibilizados aos colaboradores.

Nextel

O programa home office foi criado em 2015. Atualmente, todos colaboradores administrativos, de todos os níveis, com mais de 90 dias de empresa, podem trabalhar remotamente 1 ou 2 vezes na semana.

Para participar, os colaboradores devem realizar um treinamento com dicas e orientações sobre como aproveitar bem o dia de home-office.

Um exemplo recente vem da Nubank, que teve que adotar o home office e tem aproximadamente 2600 funcionários distribuídos em São Paulo, Berlim, Buenos Aires e Cidade do México.

Uma das medidas foi enviar cadeiras ergonômicas para as casas dos colaboradores. Já enviaram 500 unidades e nos próximos dias devem enviar mais mil.

4 dicas para liderar equipes em home office

Agora que você viu alguns exemplos de empresas que já atuam com programas para o trabalho remoto, aqui vão 4 dicas para liderar equipes neste formato:

1- Comunicação

Mais do que nunca a comunicação se faz essencial. O líder precisa ter proximidade com os colaboradores mesmo a distância e manter contato regular, por vezes até diário, com as pessoas. Alguns pontos essenciais:

Transparência

É importante que o líder compartilhe as informações disponíveis no momento sobre como a organização está olhando o cenário, próximos passos e medidas que estão sendo tomadas.

Isso pode mudar a cada semana, por isso a importância de manter a comunicação frequente a cada novidade que seja relevante sobre a visão de futuro ou que possa minimizar ansiedade, medo, dúvidas e inferências por parte da equipe.

Visão de futuro e um propósito compartilhado pelo time também são fundamentais para trazer clareza, segurança e engajar as pessoas.

Caso não possa compartilhar alguma informação, seja transparente e diga que, neste momento, existem motivos para isso. Dizer que não pode dividir uma informação é ser transparente na comunicação.

Ao mesmo tempo, mantenha o canal aberto para perguntas, ideias e o que possa vir dos colaboradores.

Acordos de convivência

Caso não tenha, crie ou adapte alguns acordos de convivência com a equipe. Por exemplo, estabelecer a frequência da comunicação, a ferramenta que será usada para isso e o tempo máximo de duração de reuniões online.

É importante definir com a equipe tudo que pode facilitar o bom trabalho, de maneira organizada e equilibrada.

Alinhamentos de expectativa

Conversar com os colaboradores para ouvir as expectativas, ideias e dúvidas que possam surgir e alinhar as expectativas é essencial neste momento.

Para isso, deixe claro o que é esperado de cada um, como a entrega deve ser feita, como será avaliada e qual o resultado esperado.

2- Feedback

O principal papel de um líder é desenvolver pessoas. Para isso, o feedback continua sendo a forma mais rápida e sem custo de se desenvolver e ajudar os liderados a evoluírem.

O feedback é um momento de olhar para o outro com interesse genuíno e altruísmo, com foco em seu desenvolvimento. Olhando para o negócio, você pode utilizar o feedback para melhorias rápidas e contínuas.

O líder deve ser o exemplo, pedindo feedbacks aos liderados sobre como está indo a sua gestão remota e o que pode melhorar.

Constância

Faz parte da comunicação transparente manter o hábito de dar feedbacks constantes ao time.

Se algo foi bom, reconheça e celebre. A pessoa precisa saber o que está fazendo bem para que possa fazer mais vezes e se sentir motivada.

Se algo precisa ser melhorado, dê a oportunidade ao liderado de corrigir rápido. Isso faz parte dos ciclos curtos de aprendizagem e melhoria contínua.

Entenda o perfil de cada um

Conhecendo o perfil de cada um de sua equipe, o líder consegue avaliar se o feedback funciona melhor de maneira informal ou formal, com horário marcado ou mandando um áudio diretamente.

É importante sempre pensar no que funciona melhor para pessoa. Como ela preferiria receber um feedback neste momento?

Ferramenta SCI

Com essa ferramenta da CCL – Center for Creative Leadership, você consegue dar um feedback tirando o peso do momento, sem julgamentos e em até dois minutos.

Situação

Onde e quando aconteceu? Aqui é momento de situar a pessoa. 

Ex: ontem, durante a reunião de marketing.

Comportamento 

Quais foram as ações da pessoa? Importante tirar a opinião pessoal, julgamento e generalizações como: sempre, nunca, toda vez. 

É o momento de falar sobre o que observou, como se uma câmera estivesse filmando e pudesse registrar o momento exato. 

Ex: você não trouxe o relatório do mês.

Impacto

Quais as consequências causadas pelo comportamento da pessoa? 

Ex: a reunião ficou incompleta sem o relatório e não tínhamos dados suficientes para definir se utilizaremos a campanha de marketing A ou B. Desperdiçamos tempo da equipe e isso vai gerar atraso no lançamento da campanha.

3- Empowerment

O momento pede equipes autônomas, que se sintam confortáveis para trazer ideias, assumir a liderança situacional de um projeto e que vejam o erro inédito como aprendizagem.

Competência do liderado x risco para o negócio

Para delegar e desenvolver as pessoas a distância, é preciso considerar a competência do liderado para aquela tarefa específica juntamente com o risco para o negócio.

Com essa visão, você consegue dar autonomia sem “delargar” e sem colocar o negócio em risco. Tenha clareza se é hora de acompanhar, fazer junto ou empoderar.

Pense em como você pode ajudar cada colaborador a evoluir. Se você sempre tiver todas as respostas ou fizer por eles, provavelmente vai ter uma equipe pouco engajada e que fica na zona de conforto, aguardando suas orientações.

Controle x autonomia

É o momento de se concentrar no resultado e não em cada atividade específica ou no número de horas que o liderado está trabalhando em home office.

Para isso, será preciso renunciar à necessidade de controle e de burocracia. Se o liderado precisar passar pela aprovação de várias pessoas pode se sentir desmotivado ou apenas executar o que for pedido, sem trazer ideias ou inovações.

Essa é uma boa oportunidade de retomar os itens “alinhamento de expectativa” e “acordo de convivência”, como vimos acima. Combine o jogo e dê autonomia para que realizem.

Depois, dê feedbacks e continue estimulando a autonomia.

4- Relações de confiança

Não existe liderança sem confiança.

Se você não tiver uma boa relação de confiança, todas as dicas acima serão afetadas. Por outro lado, ao dedicar tempo para fortalecer a confiança, você consegue se comunicar melhor, dar feedback, empoderar e liderar.

Confiança x Controle

Ou existe controle ou confiança. É impossível manter os dois.

Se você pedir aos liderados que enviem três reports do que estão fazendo por dia, acessar seus notebooks para ler os e-mails, ligar todos os dias para perguntar o que estão fazendo e não como estão, você está demonstrando que não confia.

Sem confiança, você perde engajamento, comunicação transparente, feedback, trabalho em equipe e principalmente resultado. Uma equipe gerida por controle vai fazer o possível, não o melhor.

Vulnerabilidade

O quanto o líder e os liderados se sentem confortáveis para se mostrarem vulneráveis perante os outros?

Vulnerabilidade, neste caso, significa confiar ao ponto de não se importar em reconhecer erros cometidos ou de assumir não ter respostas para algum tipo de problema.

Comprometimento x competição

O líder precisa criar e estimular um ambiente confiável, onde todos sintam que os outros tem boas intenções.

Isso se dá com feedbacks constantes, comunicação transparente e autonomia para a equipe.

Ou as pessoas estão competindo entre si ou existe confiança e, com isso, um desejo partilhado de comprometimento para um objetivo comum.

Liderança remota: desenvolva a competência

A forma como os líderes tratam seus liderados hoje, neste cenário adverso e desafiador para todos, trará resultados a médio e longo prazo para a organização. E estes resultados podem ser positivos ou negativos.

Quais serão seus próximos passos para melhorar o gerenciamento da sua equipe a distância?

Diante dos recentes acontecimentos, temos visto uma grande potencialidade do digital como forma de amenizar os impactos do Coronavírus em nossas vidas e organizações. 

Sabemos que estamos em uma fase complexa com desafios novos, mas uma coisa é certa: se quisermos obter resultados e visualizar oportunidades neste momento, não podemos deixar o desenvolvimento das pessoas de lado. 

Pensando nisso, criamos o treinamento Liderança Remota, visando oferecer um passo a passo para que cada líder possa refazer acordos com o time, acompanhar a performance e manter o engajamento, tornando-se apto para gerir equipes com eficácia mesmo a distância. 

Conheça o treinamento e saiba como gerar resultados de qualquer lugar com novas competências para liderar e inspirar pessoas.

 

Por Arthur Diniz, CEO e fundador da Crescimentum

Como manter a alta performance em momentos de crise?

Estamos enfrentando um cenário delicado, com imprevisibilidade, desafios e sem tempo exato para acabar. Infelizmente, não podemos apertar o pause e recomeçar de onde paramos daqui há alguns meses. Pelo contrário, precisamos manter a performance em tempos de crise, nos adaptando ao contexto que se apresenta.

Talvez pareça que nada está sob controle, mas há oportunidades para sairmos desta crise melhores do que entramos. 

Como manter uma rotina de alta performance, entregando resultados, mas também mantendo o equilíbrio e se desenvolvendo?

Neste artigo, vamos falar sobre o conceito do Envolvimento Total, dando ênfase aos tópicos abaixo:

  • Alternativas para manter a produtividade e a alta performance
  • Gestão e equilíbrio das energias
  • Rituais positivos

Se numa rotina normal o desafio é ir ao trabalho e focar 100% nele enquanto você está lá, como fazê-lo quando agora a rotina acontece em casa? Como se concentrar enquanto há crianças em volta precisando de entretenimento e serviço de casa para fazer?

Criado por Jim Loehr e Tony Schwartz, o conceito do Envolvimento Total aborda uma nova maneira de analisar nossas prioridades. O paradigma deixa de ser a Gestão de Tempo, e passa a ser a Gestão da Energia.

O Envolvimento Total nos apresenta 4 princípios. Vamos falar um pouco sobre eles e dar destaque para o que você já pode colocar em prática, mesmo em casa. 

Vamos nessa?

1º princípio: as 4 energias

O paradigma agora é sobre gerir bem a energia alocada em cada tarefa, não mais o tempo. A energia é o recurso individual mais importante no momento!

Para que consigamos atuar em máxima performance, precisamos gerir estas 4 energias distintas, mas conectadas: 

Energia Física 

A base do todo. Aqui, falamos sobre a quantidade de energia disponível. Você já deve ter trabalhado em um dia em que estava com febre, ou com alguma dor no corpo. Como foi seu rendimento?

Importante mencionar que a energia física não se limita apenas à prática de exercícios! Mas também a uma boa alimentação, hidratação e a um período de sono de qualidade.

Energia Emocional

Qual sua capacidade de transformar ameaças em desafios? Você é o tipo de pessoa que foca mais no problema ou na solução? De 0 a 10 como está a sua resiliência?

A capacidade de gerir nossas emoções – e aqui falamos sobre reconhecê-las, aceitá-las e escolher como reagir – possibilita que entreguemos nossa máxima performance ou não.

Energia Mental

Como anda seu foco? Está nas coisas apropriadas?

Agora, imagine como fica isso dentro de casa. Trabalhando com possíveis ruídos como a TV ligada, serviço por fazer, vizinhos fazendo barulho e, de repente, até crianças pedindo atenção?

Mas não é só isso! Também é importante considerar como anda seu desenvolvimento intelectual. Quantos livros você leu nos últimos 6 meses? Você consegue considerar múltiplos pontos de vista, ou apenas uma pequena parcela do todo?

Energia Espiritual

Sobre ter um porquê, um motivo, um propósito. O que te faz sair da cama todas manhãs? Os boletos que precisam ser pagos, ou aquilo que eles te trouxeram de bom?

Qual legado você quer deixar para as pessoas? Como anda seu compromisso com seus valores? O importante é termos algo que nos reconecte com nossa essência, com os motivos mais nobres para estarmos aqui.

Agora, que tal fazer um raio-x e ampliar seu autoconhecimento?

Dê uma olhada na roda abaixo. Você pode dar uma nota para cada um dos 12 espaços. De 0 a 10, como você acha que está hoje em cada dimensão? Depois, pode pintar para ter um visual do seu estado atual e começar a projetar o seu estado desejado. 

2º princípio: indo além do normal

O Envolvimento Total requer esforço para atravessar os limites normais. Isso é quase como treinar feito um atleta profissional! É preciso cuidar de todas estas frentes, de maneira independente e conjunta ao mesmo tempo, afinal são distintas, mas conectadas!

As coisas que mais nos desafiam são, frequentemente, aquelas que nos desenvolvem!

Se você vai à academia e realiza uma atividade física apenas uma única vez no ano, isso te traz algum resultado?

É assim com todas nossas energias. É preciso aprender a cuidar das emoções e gerir nossos sentimentos sempre. Estudar e manter nossa mente em constante desafio, colocando cada vez mais informações e promovendo reflexão a respeito delas!

Vai além de simplesmente acreditar em algo maior. Qual a sua ligação com este algo? Como você vive isso em seu dia a dia?

Para atingir nosso potencial total, precisamos continuar desafiando nossos limites, indo além de nossa zona de conforto.

Parece muita coisa? Seguir o Envolvimento Total pode te ajudar a encontrar tempo para tudo isso, ao invés de sentir que está gastando tempo. E com resultados muito superiores!

3º princípio: oscilando entre as 4 energias

Imagine uma bateria. Você primeiro usa, depois coloca para carregar. Um outro exemplo é nossa musculatura: vamos até a academia e estressamos o músculo. Depois, quando ele cresce? Durante o sono, ou seja, quando não estamos utilizando!

A oscilação entre as energias é importantíssima, e é o que garante o máximo rendimento de cada energia durante o dia. Nós não conseguimos passar 7, 8 horas na mesma energia e ser produtivos. Mas, frequentemente, é o que fazemos.

Pense em um dia normal de trabalho no escritório: você vai até lá, senta em sua mesa e utiliza a Energia Mental para solucionar problemas e buscar soluções durante o dia todo.

O que não percebemos muitas vezes é que, após 70-90 minutos contínuos em uma mesma energia, a performance vai caindo cada vez mais.

É simples de ver: suas decisões, depois de 3 horas na mesma reunião, continuam sendo as melhores possíveis? Não, né? Dá um cansaço mental, uma estafa e fica quase impossível render.

O princípio da oscilação recomenda que utilizemos, no máximo, 90 minutos a mesma energia. Depois, precisamos oscilar. Um exemplo: ficamos 90 minutos numa reunião online, então é importante parar e realizar alguma coisa diferente.

Pode ser fazer algumas flexões ou só caminhar dentro de casa. Ou preparar um café. Ligar para um amigo. Assistir a um vídeo engraçado. Jogar um jogo com seu filho.

4º princípio: criando rituais positivos

Talvez você nunca tenha se dado conta, mas 95% dos nossos comportamentos não são conscientes. Você não pensa em cada movimento enquanto escova os dentes, dirige um carro ou caminha.

Os rituais têm esse poder e essa função: tornar algo que precisamos pensar para fazer, em automático, com o tempo. E é isso que sugerimos: criar rituais e desenvolver melhores hábitos!

Agora, estamos falando de uma realidade diferente: trabalhando de casa! Se torna ainda mais necessário que tenhamos rituais e rotinas estabelecidas, para poder realizar tudo com o máximo rendimento.

Esta é uma situação nova. O que é possível aprender com ela? Como você quer estar durante e depois que tudo isso passar? Lembre-se: é possível sair melhor do que entrou.

Pressupostos importantes sobre os rituais:

  1. Os rituais precisam te desafiar levemente. Lembra do 2º princípio? Se você não fizer algo que vá um pouco além do que você já faz, não haverá desenvolvimento.
  2. Estabeleça uma rotina. Continue tendo horário para acordar, mas utilize o tempo que você perderia com o deslocamento para o trabalho para alguma energia: um bom café da manhã, uma leitura matinal, exercícios físicos para começar bem o dia, etc.
  3. Vai ser difícil simplesmente trabalhar direto como fazia no escritório. O que é possível adaptar? Como programar horários e janelas de trabalho, intercalados com coisas que precisam ser feitas na casa?
  4. É melhor dar pequenos passos do que nenhum passo. Não é sobre intensidade, é sobre regularidade, a frequência é mais importante!

Vamos a alguns exemplos de rituais que podemos adotar para desenvolver cada uma de nossas energias. Lembrando que a intensidade ou quantidade você deve adaptar, pois depende de como você está hoje e dos seus objetivos:

Física

  • Tomar 1 litro de água durante o dia;
  • Fazer 10 minutos de pausa a cada 90 minutos de trabalho;
  • Utilizar aplicativos para rotina de treino dentro de casa ou aulas gratuitas online: yoga, zumba, funcional, 7 minutes workout;
  • Estabelecer um horário para desligar o celular e a televisão e ir dormir;
  • Aprender a cozinhar ou experimentar receitas saudáveis que você nunca fez. Ex: uma receita nova por semana.

Emocional

  • Realizar videoconferência pelo menos 2x por semana com os liderados para manter proximidade;
  • Sair do computador e dar 100% da atenção quando alguém te ligar, ou alguém de casa procurar para falar. Se tiver filhos, focar 100% neles nos momentos que a rotina for destinada para isso, sem interferências do trabalho;
  • Contar histórias para as crianças dormirem todas as noites;
  • Dar atenção aos idosos e fazer atividades que eles gostam e sabem fazer: Ex: bordar, costurar, contar ou ouvir histórias;
  • Brincar com as crianças (lego, jogos, desenhar). Ex: uma brincadeira nova por semana.

Mental

  • Começar o dia lendo notícias. Fazer isso durante 15 minutos;
  • Reservar 20 minutos por dia para leitura de um livro;
  • Fazer cursos online, coaching ou mentoria. Ex: 1 vez por semana;
  • Fazer aula de inglês ou outro idioma online. Ex: 20 minutos por dia, 1 hora por dia. O tempo você que estabelecer;
  • Exercitar o mindfulness, estado de atenção plena e presença ao fazer as pequenas atividades do dia a dia. Ex: comer e notar o alimento, tomar banho com atenção.

Espiritual

  • Começar o dia olhando um quadro ou imagem que reflita sua visão de futuro;
  • Antes de dormir ou encerrar o dia, pensar em quais atitudes te aproximaram de viver seu propósito na íntegra, quais te afastaram e o que fazer diferente;
  • Colocar 15 minutos de meditação em algum momento do dia, e manter pelo menos 1x por dia durante 21 dias.
  • Arrumar os armários, a casa e aproveitar para doar o que você não precisa mais para aquela entidade que você conhece;
  • Fazer um pote ou caderno de gratidão e, 1 vez ao dia, escrever algo pelo que você é grato.

Bem, aqui foram alguns exemplos de coisas que podemos considerar e como atuar sobre elas para buscar nossa máxima performance, ainda que em tempos de crise.

E aí, já consegue imaginar sua rotina adaptada? Percebe ganhos neste caminho? Se você quer saber mais sobre como ser um profissional de alta performance, temos um e-book que pode te ajudar! Clique aqui para ler gratuitamente!

A crise abre oportunidades para aqueles que conseguem enxergar e atuar. Se quiser resultados diferentes, faça coisas diferentes. 

Vamos juntos? 

Por Rafael Linhares e Renata Andraus, trainers da Crescimentum

Estratégias para manter a cultura organizacional trabalhando em home office

A cada dia, mais e mais líderes têm optado por fazer com que os colaboradores façam home office para evitar uma possível exposição ao Coronavírus.

No entanto, isso é mais do que simplesmente pedir que seu pessoal opere da mesma maneira que operaria em um escritório estando em sua própria casa. Existem ações que você pode executar para ajudá-los a serem bem-sucedidos, e para que seus colaboradores e organização possam prosperar durante esse período.

Além disso, você deseja garantir que a cultura de sua empresa esteja viva e bem, mesmo quando as pessoas não estiverem operando cara a cara regularmente.

Como organização global virtual, gostaríamos de compartilhar dicas e sugestões que aprendemos ao longo dos anos para ajudar a preparar você e/ou seus clientes para essa transição:

1. Estruturar os colaboradores para o sucesso

À medida que os colaboradores configuram seus espaços de trabalho em casa, precisarão de equipamentos que permitam que o trabalho continue de maneira eficaz e contínua, como laptops, conexão confiável à Internet, cadeiras confortáveis e outros suprimentos necessários para suas funções.

Você pode decidir que os funcionários levem essas coisas para casa ou oferecer suporte financeiro para adquirir itens adicionais necessários.

Mesmo que as pessoas não possam entrar no escritório umas das outras ou se reunir na sala de conferências, isso não significa que o trabalho em equipe e a colaboração precisam parar.

Existem várias ferramentas que oferecem suporte a reuniões virtuais e contatos um a um. Implementando softwares de conferência online, como GoToMeeting e Zoom, e sistemas de mensagens instantâneas, como Slack e Skype, para fornecer espaço para que as pessoas se reúnam.

Muitos desses sistemas também são úteis para continuar a se conectar e trabalhar com clientes e outros stakeholders externos.

2. Cultivar Conexão

Agora que você tem ferramentas para se conectar com seus colegas, é importante usá-las regularmente para oferecer suporte contínuo à comunicação e conexão.

A sensação de solidão e isolamento pode ser um problema real para os funcionários remotos, por isso, certifique-se de estar rotineiramente entrando em contato para ajudar a aliviar quaisquer desafios que possam estar enfrentando, pessoal e profissionalmente. Isso pode incluir check-ins diários com funcionários individuais e aumentar a frequência de reuniões de equipe e e-mails em toda a empresa.

Crie tempo e espaço para as pessoas se conectarem pessoalmente. Na BVC, designamos canais como o Slack para que as pessoas compartilhem coisas sobre suas vidas fora do trabalho. Pode ser um vídeo ou meme engraçado, ou algo sobre seus animais de estimação. Você também pode criar reuniões abertas para que as pessoas se reúnam sem uma agenda ou objetivo específico além de estarem juntas.

Durante reuniões e contatos “um a um”, liguem suas webcams. Ver seus colegas promove uma maior conexão e compreensão por meio do contato visual e da capacidade de ler expressões faciais e linguagem corporal.

3. Promover o equilíbrio

O mito de que trabalhar em um escritório torna as pessoas mais produtivas simplesmente não é verdade. De fato, estudos constatam que trabalhadores remotos fazem menos intervalos e trabalham mais horas por mês.

Com o trabalho tão acessível, é muito fácil que funcionários que trabalham em casa passem longas horas trabalhando. Por isso, é essencial ajudá-los a estabelecer o equilíbrio.

Embora nem sempre seja possível para os funcionários designarem uma sala em suas casas como um escritório, é útil criar um espaço dedicado ao trabalho que forneça pelo menos alguma privacidade, especialmente se outros membros da família também estiverem por perto.

Além disso, os espaços de trabalho dedicados podem incentivar as pessoas a realmente se afastarem do trabalho para pausas e para o final do “expediente”.

Os líderes podem ajudar a definir o tom, observando seus próprios hábitos de trabalho. Enviar e-mails fora do horário comercial, inadvertidamente, pode passar a mensagem de que é esperado se trabalhar além do horário.

4. Mantenha sua cultura viva

Ao estabelecer novas políticas e procedimentos para trabalho remoto e licença médica, navegue nas maneiras pelas quais possíveis interrupções (como o Coronavírus) podem afetar sua estratégia e objetivos. Comunique-se e conecte-se com os colaboradores e clientes, apoiando-se nos principais valores da sua empresa.

Manter sua cultura em tempos de mudança não é uma iniciativa adicional, mas o “como” todas as suas iniciativas e negócios são realizados. Seus valores fundamentais são a base de sua cultura e refletem quem você é e o que representa.

Eles capacitam cada pessoa, independentemente de onde esteja na organização, ao tomar decisões ou agir, mesmo quando ninguém está assistindo. Seus valores são a cola que mantém todos e o que move o coletivo adiante muito mais rapidamente para alcançar seus objetivos e sonhos.

Texto por Barrett Values Centre
Interpretação e tradução por Guilherme Marback