Posts

Como o Coaching pode ajudar na desconstrução de modelos mentais

Você tem comportamentos que desaprova em si mesmo mas não sabe como eles surgiram, ou, como modificá-los? E até já disse que não iria repeti-los, mas depois se pegou tendo a mesma atitude?

 

Saiba que esses comportamentos são totalmente  influenciados por seus modelos mentais. Mas a boa notícia é que o  Coaching pode te ajudar a desconstruí-los.

 

Nossos pensamentos determinam os nossos comportamentos e, na maioria das vezes, nós nem nos damos conta disso.

 

Os modelos mentais são pensamentos enraizados em nós, pelos quais tentamos explicar o mundo à nossa volta e, quando aprendemos a identificá-los, temos a chance de sermos pessoas mais conscientes sobre nossos comportamentos.

 

No post dessa semana, a Coach parceira da Crescimentum, Eloisa Benvenuto nos ajuda a refletir sobre como o Coaching pode nos apoiar na desconstrução desses modelos mentais.

 

Ficou curioso e quer saber mais? Leia o artigo e descubra como o Coaching pode te ajudar a gerar consciência de seus pensamentos e como isso pode refletir de maneira positiva em seus comportamentos.

Entendendo melhor o que são modelos mentais

 

Quantas vezes você se pegou em situações em que gostaria de ter agido de maneira diferente, mas quando percebeu já tinha agido?

 

Quantos argumentos você já utilizou para justificar alguns comportamentos, e que com certeza bloqueia sua evolução e gera conflitos? Existem muito conceitos à respeito do que sejam os modelos mentais:

 

Para Peter Senge, Ph.D pelo MIT e autor do best-seller A Quinta Disciplina, os modelos mentais são “pressupostos profundamente arraigados, generalizações, ilustrações, imagens ou histórias que influenciam nossa maneira de compreender o mundo e nele agir.”

 

Por isso eles estão presentes com tanta intensidade em nossas vidas refletindo os nossos comportamentos e, segundo Daniel Goleman, autor do best-seller Inteligência Emocional, todo comportamento humano é condicionado por modelos mentais.

 

Para Kenneth Craik, psicólogo e autor do livro, A Natureza da Explicação, livro que lançou as bases para o conceito dos modelos mentais, o ser humano raciocina através de modelos.

 

E ainda segundo ele, a mente humana pode formar diversos padrões para ver a realidade e utilizá-los para prever eventos ou fatos que ainda não aconteceram.

 

E dessa forma, a mente desenvolve uma maneira racional para diferentes situações, trazendo perspectivas também diferentes para cada indivíduo em uma mesma situação. 

Mas como assim?

Imagine a seguinte história: Pedro é um adolescente e como em outros tantos dias ao voltar da escola para a casa da avó, recorre à cozinha para pegar um copo de água.

 

Numa conversa informal, ela pergunta ao menino: “Como você vê esse copo de água Pedro? Ele está meio cheio ou vazio, ou, simplesmente não tem água?”

 

Por alguns instantes Pedro observou o copo em silêncio e depois disse que via-o meio vazio. Na sequência, perguntou como a avó também via o copo, e ela respondera: “Eu o vejo com água em micro partículas e bolhas de espumante.”

 

A avó com toda sabedoria explicou ao neto que cada pessoa tem uma forma de ver o mundo, ou, cada situação, e a partir dessa vivência são construídos pontos de vista onde não há certo ou errado.

 

Através dessa história simples podemos perceber que a conversa entre avó e neto  pode ser utilizada para explicar os nossos modelos mentais.

 

E por isso eles determinam não só a forma como vemos o mundo, mas também como agimos nele, e é por essa razão que diante de uma mesma situação as pessoas podem ter comportamentos e visões muito diferentes.

E como o Coaching pode nos ajudar?

Uma certeza compartilhada por todos esses pensadores é que os modelos mentais são responsáveis por impulsionar ou limitar nossas vidas.

 

E de que maneira afinal o Coaching pode ajudar a desconstruir os modelos que limitam o nosso  desenvolvimento?

 

Raramente paramos para pensar em nossos modelos mentais, eles estão numa parte inconsciente do cérebro, e por isso, muitos dos nossos comportamentos caem no “piloto automático”.

 

Quantas vezes você já disse: “Em time que está ganhando não se mexe! Isso não vai dar certo aqui, sempre foi assim..”, e continuou agindo através dos mesmos padrões, com os mesmos comportamentos sem refletir se eles poderiam ser mudados ou não? 

 

95% das coisas que fazemos são inconscientes, fazendo-nos agir sem pensar, e esses modelos mentais são completamente intrínsecos, mas por outro lado, não são verdades absolutas e portanto podem ser questionados.

 

O profissional Coach pode ajudar cada pessoa trazer à consciência todos os seus modelos mentais, quebrando suas próprias crenças, construindo e alcançando uma nova percepção de si mesmo e do mundo à sua volta.

 

Como? Através de um processo de Coaching conduzindo o indivíduo às mudanças de padrões de pensamentos por meio de:

1. Expansão da consciência

O processo de Coaching pode levar cada pessoa à expansão da consciência, e dessa forma, levá-la a entender como reage a cada comportamento e como cada pensamento surge.

 

Expandindo seu campo de visão  por meio de questionamentos e perguntas poderosas, fazendo o exercício de trocar uma visão por outra.

 

Para Johnson-Laird, professor da Universidade de Princeton, nossa mente é capaz de construir modelos positivos, negativos e de probabilidade, de forma que o indivíduo passe a “acreditar” tanto nesse modelo que passe a ter o poder de influenciar suas escolhas e decisões futuras.

 

Quanto maior o número de modelos mentais, mais tempo será despendido no processamento das respostas e nas tomadas de decisões, aumentando a propensão ao erro.

 

E é exatamente por isso que expandir a consciência ajuda cada pessoa a reconhecer seus próprios modelos mentais, aprendendo a gerenciar de maneira mais consciente seus comportamentos.

 

2. Perguntas poderosas

Na metodologia de Coaching, perguntas poderosas, é uma técnica que ajuda as pessoas a gerarem reflexão através de perguntas diretas, claras e abertas.

 

E diante dos seus modelos mentais, fazer as perguntas certas lhe dá chance de aprender a reconhecê-los nos momentos em que eles surgem.

 

A capacidade de fazer as melhores perguntas ajuda você a gerenciar seus comportamentos impedindo que você saia operando sempre no “piloto automático”.

 

Por exemplo, imagine uma pessoa com um modelo mental já construído, que se diz extrovertida e que faz amizades facilmente, mas que pensa que não consegue se relacionar com ninguém no trabalho e por isso acha que nunca será promovido.

 

Por meio de perguntas, o Coach ajuda a pessoa refletir como uma pessoa extrovertida pode não ter bons relacionamentos. Será que essa pessoa conversa com todos que se relaciona? O que é se relacionar para ela? Como faz isso?

 

As perguntas ajudam a ampliar a visão sobre ela mesma, pois algumas coisas podem parecer óbvias, mas nada é óbvio quando se tem um modelo mental construído.

 

Para mudar, é preciso ter disposição e vontade de se abrir para uma nova forma de pensar, enxergando sob novas perspectivas, e muitas vezes até repetir para si mesmo até se convencer dessa nova visão.

 

Se nós queremos evoluir, precisamos gerar “conflitos”, e através de perguntas poderosas nos aproximamos de novas oportunidades.

 

3. Autoconfiança

Na maioria das vezes as pessoas nem se dão conta de que têm modelos mentais formados, e é a autoconfiança que serve de apoio na desconstrução de um modelo limitador, e também na construção de um modelo mental positivo.

 

É através da autoconfiança que cada pessoa desenvolve o autoconhecimento, princípio fundamental para se tornar autoconfiante.

 

Só mudamos aquilo que conhecemos. Se não aprendemos a nos perceber, não saberemos o que precisa ser mudado.

 

Quando o indivíduo se conhece, sabe identificar seus modelos mentais, e fica mais próximo de ser o autor de sua própria vida.

É ele quem comanda seus pensamentos e comportamentos, não é “dominado” por pensamentos condicionados e pré-concebidos.

 

E através da autoconfiança ele se sente mais fortalecido para desconstruir os modelos mentais que limitam seu desenvolvimento.

 

Dessa forma, podemos perceber que o profissional Coach através de um processo de Coaching, trabalha com técnicas que permitem compreender o cenário, mapear o ambiente e ajudar a pessoa a construir novas percepções.

 

O processo de Coaching apoia cada um a desconstruir seus padrões de pensamentos e a construir um novo olhar para o mundo.

 

Se você quer saber mais sobre como nossos modelos mentais surgem e como o Coaching pode apoiar você em todas as áreas da sua vida, venha conhecer nossa Certificação Profissional em Coaching.

 

Essas e outras técnicas de Coaching podem alavancar sua vida, e nós da Crescimentum unimos há mais de 15 anos experiência e expertise no mercado, além de já termos entregue mais de 5 mil processos de Coaching executivo.

 

por Eloisa Benvenuto, Coach parceira da Crescimentum 

Coaching: Perguntas Poderosas?

Por Marco Fabossi, sócio-diretor da Crescimentum

 

O poder de uma pergunta não está em sua complexidade, mas na profundidade da reflexão que ela causa e nos insights que produz, por isso, ainda que simples, as perguntas podem ser muito poderosas e nos conduzir à boas reflexões, descobertas, ideias, ações e conquistas.

 

Acredito que você tenha estabelecido objetivos importantes para sua vida neste ano, certo? Pois bem, escolha um deles e faça as quatro perguntas que sugiro a seguir. São perguntas simples, mas poderosas, que, respondidas com sinceridade e acompanhadas de ações concretas, certamente produzirão resultados extraordinários em sua vida!

 

Por quê? Procure encontrar o propósito mais profundo e verdadeiro que sustentará aquilo que você deseja, e este propósito o(a) manterá vivo(a) e entusiasmado(a). Entenda as razões e os motivos verdadeiros daquilo que busca.

 

Pergunte-se: Por que eu devo fazer isso? Por que isso é importante pra mim? Entenda os motivos mais profundos pelos quais isso deve ser feito. Enquanto não houver clareza de propósito, os “motivos para a ação” (motivação), serão frágeis e insuficientes para conduzi-lo(a) em direção àquilo que deseja.

 

Enfim, encontre o verdadeiro propósito de suas escolhas e, quando possíveis obstáculos surgirem, lembre-se dele. Isso lhe trará força, motivação e entusiasmo para manter o foco, disciplina e persistência necessários para conquistar aquilo que deseja.

 

Por que não? O que o(a) impede de fazer isso? Muitas vezes, seguimos demorando pra fazer alguma coisa, simplesmente porque achamos que deveríamos ter feito antes, e julgamos ser tarde pra fazê-la agora… mas, por que não?

 

Se responder sinceramente, descobrirá que não existem motivos reais para deixar de fazer o que tanto deseja. Então, por que não começar algo novo? Por que não criar novos hábitos?

 

Por que não começar a fazer atividade física? Por que não parar de fumar? Por que não escrever um livro? Por que não voltar a estudar? Por que não arriscar? Por que não?

 

Por que não eu? Se alguém tem que fazer algo por você, esse alguém é você! Quando encontramos o verdadeiro propósito para fazer algo, e descobrimos que nada nos impede de fazê-lo, a próxima pergunta é “por que não eu?”.

 

Alguém tem que começar a fazer esse “negócio”! Alguém precisa começar a falar mais “eu te amo” nesse relacionamento: por que não eu? Alguém tem que propor uma nova ideia: por que não eu?

 

Alguém tem que começar a reconstruir as relações de confiança na equipe: por que não eu? Alguém tem que perdoar: por que não eu? Alguém tem que dar o primeiro passo: por que não eu?

 

Por que não agora? Como disse Chico Xavier, “Ninguém pode voltar atrás e fazer um novo começo. Mas qualquer um pode recomeçar e fazer um novo fim”, e o melhor momento para começar a fazer esse “novo fim” é agora.

 

Se alguma coisa tem que ser feita, se não há razões concretas para que isso não seja feito e, se você mesmo pode fazer, então a última pergunta poderosa é: Por que não agora? Talvez esteja esperando pelo “momento perfeito”, mas o melhor momento é agora.

 

É por isso que o “agora” se chama “presente”: um presente de Deus para que você faça o que precisa ser feito. Então, por que não agora?