Posts

O RH Exponencial

As coisas mudaram. Você, profissional de RH, provavelmente já sabe disso. Mas você sabe de que forma o seu trabalho foi impactado pela chamada Era Exponencial?

 

Mais importante do que identificar que as coisas mudaram é estar atento às inovações que esse novo cenário exige. Cedo ou tarde, essa maré de mudanças chegará (se ainda não chegou) até você. E, nesse momento, você tem duas opções:

 

  • Ou aprende a surfar nessa onda;
  • Ou é engolida por ela.

A Era das organizações exponenciais

As chamadas organizações exponenciais são empresas que obtiveram destaque e crescimento muito grandes em um curto período. Essas empresas se tornaram destaque por suas ideias inovadoras e seu jeito diferente de trabalhar.

 

Parece uma realidade inexistente, mas estamos falando de empresas reais! Você, provavelmente, utiliza seus serviços em muitos momentos do dia. Amazon, Google, Netflix, Waze… São nomes familiares?

 

A Era Exponencial diz respeito a um mundo globalizado, onde o digital é predominante. E, consequentemente, temos uma pressão maior por resultados. Não podemos parar essa onda, então, temos que aprender a surfar nela.

 

Hoje, vivemos em uma dinâmica que preza pela velocidade. E a Era Exponencial surge com um foco muito grande em uma palavra-chave: agilidade. De acordo com dados da PwC, 22% das empresas que mais lucraram nos últimos 3 anos utilizaram metodologias ágeis.

 

E é papel do RH se adequar à essa Era, posicionando-se de forma estratégica na construção de empresas mais rápidas e preparadas para o futuro. Afinal, a sociedade e as pessoas mudaram e, assim, a gestão delas também.

 

O que é o RH Exponencial?

A área de Recursos Humanos já passou por muitas fases. E diante do que visualizamos acima, fica muito claro que esse impacto também envolve a forma como o profissional de RH pensa, atua e é visto nas organizações.

 

O RH Exponencial tem o papel de pensar e incutir o mindset exponencial na empresa. Ele deve provocar constantemente o status quo e questionar as próprias práticas e ações!

 

Os profissionais de RH devem garantir a sustentabilidade do negócio e atuar como arquitetos de organizações mais fortes e preparadas para o futuro. 

 

E isso envolve pensar no Employee Life Cycle de uma forma dinâmica, procurando novas práticas e atentando-se às novidades de empresas disruptivas, como as presentes no Vale do Silício. 

 

O profissional preparado para o futuro compreende que há uma forte tendência das pessoas se interessarem menos por empresas tradicionais ou por carreiras bem definidas. Esse RH entende que as pessoas estão buscando uma experiência agregadora conectada à sua identidade e jornada pessoal.

 

É quem identifica a necessidade do senso de pertencimento para os colaboradores da empresa. Além disso, visualiza o aprendizado constante enquanto uma necessidade latente para garantir a inovação e, consequentemente, a perenidade do negócio.  

 

Como se tornar um profissional do futuro?

Diante disso tudo, você se sente preparado para lidar com as tantas transformações organizacionais que estamos vivendo nos últimos tempos? Está pronto para se reinventar e, dessa forma, transformar a sua organização?

 

Afinal, se as coisas já não funcionam como antes, por que os Recursos Humanos deveriam funcionar nas antigas dinâmicas de contratação, demissão, treinamento e desenvolvimento de pessoas?

 

Agora, é hora de repensar alguns pontos essenciais para um profissional preparado para o futuro:

1- Desenvolva accountability

São muitas coisas (e pessoas) necessárias no processo de “exponencializar” a empresa. Mas se cada um deixar para o “outro”, é muito provável que ninguém faça nada e que a empresa permaneça na estaca zero.

Por isso, é importante que você desenvolva o mindset de dono do negócio. Seja o exemplo do que você quer implantar na organização.

 

2- Repense processos

É comum, em uma rotina corrida de trabalho, realizar tarefas de forma quase mecânica. Mas é importante repensar se alguns processos ainda fazem sentido e se são a melhor solução para o negócio. Essa é a hora de se fazer algumas perguntas essenciais:

  • São mesmo essas tarefas ou processos que garantirão a perenidade do negócio? 
  • O que posso fazer de forma diferente? 
  • Como reinventar e repensar a forma de ser e fazer o RH?

3- Molde a cultura

Já falamos sobre a importância da cultura para a organização em um artigo. Esse assunto também deve estar em pauta para os profissionais de RH, afinal, é a partir da cultura que se cria a base sólida para o crescimento da organização.

Observe a cultura da sua empresa e de que forma ela contribui ou atrapalha no clima organizacional e no alcance de metas. A partir disso, é possível criar caminhos e novos passos para que a empresa cresça com unidade.

 

4- Use a tecnologia a seu favor

É impossível imaginar a vida sem tecnologia, atualmente. Embora alguns profissionais ainda tenham algumas ressalvas em relação a ela, é fato que precisamos aprender a lidar com o cenário tecnológico. Afinal, a tecnologia veio para ficar e para agregar.

Também é importante se apropriar do digital na hora de pensar em processos e na aprendizagem. É possível utilizar novas ferramentas a seu favor, então, fique por dentro das tendências.

 

5- Esteja aberto à inovação

As coisas estão mudando de forma rápida e novas tendências surgem a cada dia. Então, fomentar uma aprendizagem contínua é o primeiro passo para não se tornar obsoleto diante de tantas inovações.

Somente assim, você estará preparado para um futuro um tanto quanto incerto e que continuará em transformação.

 

E agora?

Se você chegou até aqui e se deu conta de que precisa desenvolver algumas competências para ser, de fato, um profissional de Recursos Humanos preparado para o futuro, não se desespere!

 

O primeiro passo já foi dado: você abriu sua mente para um novo mindset! Nós da Crescimentum criamos um treinamento especialmente para discutir sobre a nova fase do RH e possíveis caminhos para você, profissional da área.

 

Se você quer ser um profissional preparado para o futuro e atento às novas necessidades do mercado, tenho certeza de que vai aproveitar muito o treinamento RH do Futuro, onde falo com mais profundidade sobre o tema deste artigo!

 

 Por Renato Curi, sócio-diretor da Crescimentum

 

Recursos humanos

As 5 fases dos Recursos Humanos

A área de Recursos Humanos, assim como as organizações como um todo, está em constante evolução. Com o tempo, esse “departamento” passou por diversas transformações, não apenas em relação à relevância que foi ganhando, mas também à sua própria atuação e atribuições.

 

E a verdade é que essas mudanças não vão parar

 

O RH tal como o conhecemos está com seus dias contados (e ainda bem)! Pense em 10 atrás. Um mundo onde não havia Netflix, Uber, Whatsapp, Spotify… De lá para cá, muita coisa mudou, não é mesmo?

 

A velocidade e acessibilidade são dois pontos que merecem destaque. Hoje, processos se tornaram mais rápidos e temos todo tipo de informação na palma da mão. Estamos conectados e buscamos por praticidade e rapidez no dia a dia.

 

O ponto é que as coisas, de forma geral, mudaram! E você, profissional de RH, está acompanhando as novas práticas do mercado?

 

Por que devemos pensar nisso?

Vamos entender melhor como o RH foi ganhando mais relevância frente a outras áreas do negócio? Aqui, falarei de diferentes fases que toda área de RH passa, está passando ou ainda passará. 

 

É essencial que você, enquanto profissional da área, acompanhe esse fluxo e também esteja em constante desenvolvimento. Afinal, você lida com seres humanos e isso exige aprendizado contínuo.

 

O RH tem uma posição estratégica, porque vê todas as áreas e acessa todas as pessoas. É a porta de entrada para os novos mindsets.

 

E isso significa que você, profissional de Recursos Humanos, tem poderes e responsabilidades na mesma medida das tendências e demandas que recebe! 

 

A linha do tempo dos Recursos Humanos

Ao longo do tempo, o RH passou por diversas fases e mudou totalmente a sua forma de atuar e de ser visto. Saiba mais sobre cada uma delas!

 

  • Fase 1 – Administração de RH

Inicialmente, o RH era voltado para atividades de administração. Os profissionais da área cuidavam de folhas de pagamento, gestão de pessoal, afastamentos, admissão e demissão.

 

E entre outras tarefas mais operacionais de que cuidavam, estavam pequenas etapas da jornada do colaborador. 

 

Era uma área de suporte que não precisava ter qualquer conexão com o negócio. Essa fase caracteriza um RH bem no estilo de departamento pessoal.

 

  • Fase 2 – Práticas de RH

Posteriormente, os profissionais de Recursos Humanos começam a cuidar de outras tarefas, como integração e treinamento, desenvolvimento de lideranças e recebimento de algumas demandas de outras áreas do negócio. 

 

O RH amplia a sua atuação, e começa a atuar em várias frentes além do departamento pessoal como recrutamento e seleção, treinamento, performance, benefícios, entre outras.

 

Nessa fase, há uma inquietação sobre como inovar e integrar as melhores práticas no que tange a gestão de pessoas. 

 

  • Fase 3 – O RH estratégico

Uma vez que o RH atua em várias frentes que cobrem toda a jornada do colaborador, a área começa a estruturar suas ações a fim de alavancar os resultados do negócio.

 

Essa fase é caracterizada pela participação ainda tímida, e nem sempre assertiva da área no planejamento estratégico da empresa ou em conversas que discutem a estratégia e o futuro do negócio.

 

Com o objetivo de atuar diretamente na busca dos resultados da empresa, o RH direciona suas ações de acordo com as diretrizes do negócio.

 

Ainda é uma área que recebe as demandas e raramente dá o tom das inovações ou das pautas. Mas, nessa fase, já está ganhando corpo, mais influência e visibilidade

 

  • Fase 4 –  RH de fora para dentro

Essa fase é conhecida por muitos como RH 4.0. Com a chegada de diversas tecnologias disruptivas, a sociedade foi drasticamente transformada. O que quer dizer que nossas empresas, negócios e serviços também! 

 

A partir de tantas mudanças, os profissionais de RH são convidados a pensar de fora para dentro, ou seja, observar as tendências, o que está acontecendo ao redor, o que está acontecendo com os mercados e com a própria sociedade.

 

O RH começa a antecipar-se às mudanças e faz leituras preditivas que ajudam na criação de soluções que impactam ou impactarão o negócio! 

 

Esse não é apenas um RH estratégico, mas um RH propositivo que não espera que as coisas cheguem até ele, mas propõe soluções, programas e ações olhando para fora, e saindo um pouco do mindset antigo daquela área que antigamente só recebia pedidos. 

 

Nesse momento, o profissional de RH vê as tendências sociais de mercado, interpreta e traz para a realidade do negócio.

 

  • Fase 5 – RH na Era Exponencial

Nesse cenário de profundas transformações, visualizamos mais uma onda de atuação do RH: o Exponencial.

 

Não basta identificar que as tecnologias transformaram (e continuarão a transformar) o negócio.  É preciso repensar o papel (e as competências) da profissão nesse cenário VUCA.  

 

Atualmente, o RH deve entender que as organizações estão se transformando e que estamos em meio à Era Exponencial, uma Era que pressupõe mais agilidade, conexão e inconstância. Uma era baseada no paradigma da abundância, na cooperação, na co-criação entre outros tantos pontos relevantes. 

 

De uma vez por todas, é essencial que compreendamos que o profissional de Recursos Humanos não é apenas um facilitador da estratégia e não fica restrito apenas às tendências que estão acontecendo. Esse profissional tem o papel de pensar e incutir o mindset exponencial na empresa. 

 

Como estar preparado para o futuro?

Agora que você sabe o papel dos profissionais de Recursos Humanos na Era Exponencial, entende que deve estar preparado para o futuro da sua profissão ou, talvez, nem esteja nele.

 

Mas estou aqui justamente para te ajudar nisso. O primeiro passo é estar em constante aprendizado, pois, como você viu, as coisas mudam o tempo todo! Na Era Exponencial, essa agilidade é ainda mais latente e novidades surgem a todo momento.

 

Portanto, procure cursos presenciais ou online que possam te ajudar a desenvolver novas competências. Outra atitude é buscar leituras enriquecedoras, pois é uma forma de ampliar a sua consciência dentro das práticas da profissão.

 

Inclusive, temos o e-book RH do Futuro, construído a partir desses dilemas e novas necessidades do mercado. Vale a pena a leitura!

 

Por fim, esteja atento às tendências do mercado através de palestras, pesquisas e conversas com outros profissionais da área. A troca de conhecimento é sempre muito agregadora!

 

Por Renato Curi, sócio-diretor da Crescimentum

 

RH

A importância estratégica do RH nas organizações exponenciais

As áreas de RH, há algum tempo, têm sido vistas tanto por funcionários, como pela liderança das empresas como áreas operacionais, com participação limitada a contratar, demitir e proporcionar bem-estar aos colaboradores.

 

Desde quando atuava como executivo do mercado financeiro, muito anos atrás, ouço que a tendência da área de Recursos Humanos é a transição de um papel operacional para um mais estratégico.

 

Posso afirmar que, felizmente, esse papel vem mudando com o passar do tempo em muitas organizações – ainda que essa transformação não esteja consolidada e venha acontecendo de forma lenta e gradual.

 

Percebo claramente que a maioria das companhias e seus líderes já têm consciência da importância estratégica do RH, mas poucas conseguiram efetivar uma estrutura eficaz na qual a área realmente participe de forma estratégica.

 

Tenho estudado bastante sobre a perenidade das organizações em um futuro disruptivo nos últimos tempos e o que mais me chama a atenção são os números alcançados pelas empresas que já são bem-sucedidas nesse novo modelo.

A importância de programas de desenvolvimento de líderes

De acordo com o instituto de pesquisa Bersin, um dos mais respeitados nos EUA, companhias que têm programas estratégicos de desenvolvimento de líderes apresentam resultados substanciais.

 

Essas organizações são 20x melhores em reter talentos, 20x mais eficientes em acelerar o crescimento da organização, 8x melhores na implementação de uma cultura baseada no desempenho, têm 8x mais capacidade de substituir com rapidez os postos de liderança e conseguem resultados 8x maiores que as demais!

 

E o caminho para essa transformação é simples, apesar de não ser facilmente implementável, devido às barreiras políticas dentro das organizações.

 

Como o RH estratégico pode desenvolver a empresa

 

1. Defina as estratégias do negócio

O primeiro passo a ser dado é envolver o RH na definição da estratégia de negócios da empresa. A partir dessa definição, todas as demais etapas precisam ser seguidas em função desses objetivos.

 

A estratégia de RH, começando pelo desenvolvimento dos líderes da empresa, só faz sentido se estiver na mesma direção da estratégia de negócios. Dela saem os fatores críticos de sucesso e competências necessárias à organização. Todos os sistemas e subsistemas de RH têm que estar alinhados com isso.

 

2. Faça um alinhamento com os líderes

O que vemos na maioria das empresas ainda é um desalinhamento grande nesse sentido. Vejo clientes que nos contratam para desenvolver competências de liderança em seus executivos, mas que remuneram melhor os profissionais que demonstram comportamentos diferentes dos trabalhados.

 

Um exemplo: fomos contratados para desenvolver a capacidade de trabalho em equipe em centenas de líderes de uma grande organização. Treinamos esses profissionais, mas, assim que eles retornavam à empresa, se viam diante de forças absolutamente contrárias dos outros sistemas de RH.

 

Tivemos que ajudar a companhia a reestruturar os outros subsistemas para que o programa começasse a funcionar. Depois que alinhamos tudo, a mudança de comportamento dos funcionários foi muito rápida.

 

A remuneração variável, bem agressiva nessa empresa, era toda baseada em desempenhos individuais. O mesmo acontecia com as promoções, que se fundamentavam em resultados numéricos e nunca levavam em consideração se a pessoa trabalhava em equipe ou não.

 

3. Unifique a atuação dos profissionais de RH

A área de Recursos Humanos de uma organização é o pilar básico mais importante para a execução de qualquer estratégia e para o atingimento de seus objetivos financeiros.

 

O problema é que, quando isso não é desenhado e estabelecido desde o desenvolvimento da estratégia, a empresa acaba virando vítima da sorte ou da informalidade.

 

Outras áreas acabam assumindo o papel do RH de forma desordenada e os obstáculos vão se acumulando. A chave do sucesso está, e sempre estará, nas pessoas.

 

Pensando em como garantir a perenidade das organizações e assegurar que as empresas estejam prontas para esse futuro disruptivo e promissor de que temos falado, criamos o treinamento RH do Futuro.

 

Este é um curso orientado para como o futuro das organizações deve ser, e atento para o que o RH deve empreender para se tornar o grande arquiteto das organizações do futuro.

 

Por Arthur Diniz, CEO e fundador da Crescimentum

Portfolio Items