Posts

Como o Coaching pode ajudar na desconstrução de modelos mentais

Você tem comportamentos que desaprova em si mesmo mas não sabe como eles surgiram, ou, como modificá-los? E até já disse que não iria repeti-los, mas depois se pegou tendo a mesma atitude?

 

Saiba que esses comportamentos são totalmente  influenciados por seus modelos mentais. Mas a boa notícia é que o  Coaching pode te ajudar a desconstruí-los.

 

Nossos pensamentos determinam os nossos comportamentos e, na maioria das vezes, nós nem nos damos conta disso.

 

Os modelos mentais são pensamentos enraizados em nós, pelos quais tentamos explicar o mundo à nossa volta e, quando aprendemos a identificá-los, temos a chance de sermos pessoas mais conscientes sobre nossos comportamentos.

 

No post dessa semana, a Coach parceira da Crescimentum, Eloisa Benvenuto nos ajuda a refletir sobre como o Coaching pode nos apoiar na desconstrução desses modelos mentais.

 

Ficou curioso e quer saber mais? Leia o artigo e descubra como o Coaching pode te ajudar a gerar consciência de seus pensamentos e como isso pode refletir de maneira positiva em seus comportamentos.

Entendendo melhor o que são modelos mentais

 

Quantas vezes você se pegou em situações em que gostaria de ter agido de maneira diferente, mas quando percebeu já tinha agido?

 

Quantos argumentos você já utilizou para justificar alguns comportamentos, e que com certeza bloqueia sua evolução e gera conflitos? Existem muito conceitos à respeito do que sejam os modelos mentais:

 

Para Peter Senge, Ph.D pelo MIT e autor do best-seller A Quinta Disciplina, os modelos mentais são “pressupostos profundamente arraigados, generalizações, ilustrações, imagens ou histórias que influenciam nossa maneira de compreender o mundo e nele agir.”

 

Por isso eles estão presentes com tanta intensidade em nossas vidas refletindo os nossos comportamentos e, segundo Daniel Goleman, autor do best-seller Inteligência Emocional, todo comportamento humano é condicionado por modelos mentais.

 

Para Kenneth Craik, psicólogo e autor do livro, A Natureza da Explicação, livro que lançou as bases para o conceito dos modelos mentais, o ser humano raciocina através de modelos.

 

E ainda segundo ele, a mente humana pode formar diversos padrões para ver a realidade e utilizá-los para prever eventos ou fatos que ainda não aconteceram.

 

E dessa forma, a mente desenvolve uma maneira racional para diferentes situações, trazendo perspectivas também diferentes para cada indivíduo em uma mesma situação. 

Mas como assim?

Imagine a seguinte história: Pedro é um adolescente e como em outros tantos dias ao voltar da escola para a casa da avó, recorre à cozinha para pegar um copo de água.

 

Numa conversa informal, ela pergunta ao menino: “Como você vê esse copo de água Pedro? Ele está meio cheio ou vazio, ou, simplesmente não tem água?”

 

Por alguns instantes Pedro observou o copo em silêncio e depois disse que via-o meio vazio. Na sequência, perguntou como a avó também via o copo, e ela respondera: “Eu o vejo com água em micro partículas e bolhas de espumante.”

 

A avó com toda sabedoria explicou ao neto que cada pessoa tem uma forma de ver o mundo, ou, cada situação, e a partir dessa vivência são construídos pontos de vista onde não há certo ou errado.

 

Através dessa história simples podemos perceber que a conversa entre avó e neto  pode ser utilizada para explicar os nossos modelos mentais.

 

E por isso eles determinam não só a forma como vemos o mundo, mas também como agimos nele, e é por essa razão que diante de uma mesma situação as pessoas podem ter comportamentos e visões muito diferentes.

E como o Coaching pode nos ajudar?

Uma certeza compartilhada por todos esses pensadores é que os modelos mentais são responsáveis por impulsionar ou limitar nossas vidas.

 

E de que maneira afinal o Coaching pode ajudar a desconstruir os modelos que limitam o nosso  desenvolvimento?

 

Raramente paramos para pensar em nossos modelos mentais, eles estão numa parte inconsciente do cérebro, e por isso, muitos dos nossos comportamentos caem no “piloto automático”.

 

Quantas vezes você já disse: “Em time que está ganhando não se mexe! Isso não vai dar certo aqui, sempre foi assim..”, e continuou agindo através dos mesmos padrões, com os mesmos comportamentos sem refletir se eles poderiam ser mudados ou não? 

 

95% das coisas que fazemos são inconscientes, fazendo-nos agir sem pensar, e esses modelos mentais são completamente intrínsecos, mas por outro lado, não são verdades absolutas e portanto podem ser questionados.

 

O profissional Coach pode ajudar cada pessoa trazer à consciência todos os seus modelos mentais, quebrando suas próprias crenças, construindo e alcançando uma nova percepção de si mesmo e do mundo à sua volta.

 

Como? Através de um processo de Coaching conduzindo o indivíduo às mudanças de padrões de pensamentos por meio de:

1. Expansão da consciência

O processo de Coaching pode levar cada pessoa à expansão da consciência, e dessa forma, levá-la a entender como reage a cada comportamento e como cada pensamento surge.

 

Expandindo seu campo de visão  por meio de questionamentos e perguntas poderosas, fazendo o exercício de trocar uma visão por outra.

 

Para Johnson-Laird, professor da Universidade de Princeton, nossa mente é capaz de construir modelos positivos, negativos e de probabilidade, de forma que o indivíduo passe a “acreditar” tanto nesse modelo que passe a ter o poder de influenciar suas escolhas e decisões futuras.

 

Quanto maior o número de modelos mentais, mais tempo será despendido no processamento das respostas e nas tomadas de decisões, aumentando a propensão ao erro.

 

E é exatamente por isso que expandir a consciência ajuda cada pessoa a reconhecer seus próprios modelos mentais, aprendendo a gerenciar de maneira mais consciente seus comportamentos.

 

2. Perguntas poderosas

Na metodologia de Coaching, perguntas poderosas, é uma técnica que ajuda as pessoas a gerarem reflexão através de perguntas diretas, claras e abertas.

 

E diante dos seus modelos mentais, fazer as perguntas certas lhe dá chance de aprender a reconhecê-los nos momentos em que eles surgem.

 

A capacidade de fazer as melhores perguntas ajuda você a gerenciar seus comportamentos impedindo que você saia operando sempre no “piloto automático”.

 

Por exemplo, imagine uma pessoa com um modelo mental já construído, que se diz extrovertida e que faz amizades facilmente, mas que pensa que não consegue se relacionar com ninguém no trabalho e por isso acha que nunca será promovido.

 

Por meio de perguntas, o Coach ajuda a pessoa refletir como uma pessoa extrovertida pode não ter bons relacionamentos. Será que essa pessoa conversa com todos que se relaciona? O que é se relacionar para ela? Como faz isso?

 

As perguntas ajudam a ampliar a visão sobre ela mesma, pois algumas coisas podem parecer óbvias, mas nada é óbvio quando se tem um modelo mental construído.

 

Para mudar, é preciso ter disposição e vontade de se abrir para uma nova forma de pensar, enxergando sob novas perspectivas, e muitas vezes até repetir para si mesmo até se convencer dessa nova visão.

 

Se nós queremos evoluir, precisamos gerar “conflitos”, e através de perguntas poderosas nos aproximamos de novas oportunidades.

 

3. Autoconfiança

Na maioria das vezes as pessoas nem se dão conta de que têm modelos mentais formados, e é a autoconfiança que serve de apoio na desconstrução de um modelo limitador, e também na construção de um modelo mental positivo.

 

É através da autoconfiança que cada pessoa desenvolve o autoconhecimento, princípio fundamental para se tornar autoconfiante.

 

Só mudamos aquilo que conhecemos. Se não aprendemos a nos perceber, não saberemos o que precisa ser mudado.

 

Quando o indivíduo se conhece, sabe identificar seus modelos mentais, e fica mais próximo de ser o autor de sua própria vida.

É ele quem comanda seus pensamentos e comportamentos, não é “dominado” por pensamentos condicionados e pré-concebidos.

 

E através da autoconfiança ele se sente mais fortalecido para desconstruir os modelos mentais que limitam seu desenvolvimento.

 

Dessa forma, podemos perceber que o profissional Coach através de um processo de Coaching, trabalha com técnicas que permitem compreender o cenário, mapear o ambiente e ajudar a pessoa a construir novas percepções.

 

O processo de Coaching apoia cada um a desconstruir seus padrões de pensamentos e a construir um novo olhar para o mundo.

 

Se você quer saber mais sobre como nossos modelos mentais surgem e como o Coaching pode apoiar você em todas as áreas da sua vida, venha conhecer nossa Certificação Profissional em Coaching.

 

Essas e outras técnicas de Coaching podem alavancar sua vida, e nós da Crescimentum unimos há mais de 15 anos experiência e expertise no mercado, além de já termos entregue mais de 5 mil processos de Coaching executivo.

 

por Eloisa Benvenuto, Coach parceira da Crescimentum 

Modelo Mental: descubra como transformar sua mente!

Por Marco Fabossi, sócio-diretor da Crescimentum

 

 

Todos temos um ou outro Modelo Mental, formados por nossas crenças e valores, que determinam a forma que enxergamos a vida.

 

Consciente ou inconscientemente, assumimos papéis diferentes em nosso cotidiano.

O Modelo Mental por trás de nossos papéis

Em alguns momentos somos filhos, em outros pais, profissionais, amigos, líderes, estudantes, cônjuges, parceiros, e assim por diante.

 

Cada papel é sustentado por um conjunto de crenças e valores e coisas em que acreditamos.

 

Por exemplo: no papel de líder, posso presumir que ninguém consegue fazer as coisas tão bem quanto eu, ou posso crer que meus liderados são pessoas capazes de executar determinadas tarefas tão bem, ou até melhor do que eu.

A influência das crenças e valores

Ambos são crenças e valores que levam a comportamentos e capacidades completamente diferentes. Neste exemplo, a primeira crença leva o líder a desenvolver a capacidade de ser centralizador, alguém que não delega por não confiar que as pessoas possam fazer as coisas tão bem quanto ele.

 

Já a segunda crença conduz o líder na direção oposta, ajudando-o a adquirir a capacidade de delegar, por acreditar no potencial das pessoas que estão ao seu redor.

 

Esses Modelos Mentais, formados por crenças e valores, é que determinam a forma como enxergamos e vivemos nossa vida.

 

Além disso, facilitam ou dificultam o desenvolvimento de capacidades e comportamentos em cada um dos papéis que exercemos no dia a dia.

E como mudar esses Modelos Mentais?

É por isso que mudanças efetivas e duradouras começam pela transformação de nosso Modelo Mental: pela mudança em nosso jeito de acreditar nas coisas.

 

Entretanto, é interessante notar que ao iniciamos mudanças apenas tentando ajustar determinados comportamentos, logo percebemos que as coisas mudam por um tempo e não demoram a voltar ao estado inicial.

 

Isso ocorre devido ao desalinhamento entre crenças (aquilo que acreditamos) e comportamento (aquilo que fazemos).

 

Para que as mudanças realmente aconteçam é preciso questionar crenças e valores!

 

Isso porque apenas quando mudamos a maneira de enxergar determinadas situações e adquirimos nova consciência, é que desenvolvemos capacidades e comportamentos alinhados e coerentes com este novo ponto de vista.

 

Peter Senge reforça este conceito no livro A Quinta Disciplina, quando comenta: “Embora não se comportem de forma coerente com aquilo que dizem, as pessoas comportam-se de forma coerente com aquilo em que acreditam”.

 

Refletindo sobre tudo isso, podemos concluir que o Modelo Mental de cada indivíduo não é necessariamente uma verdade, a não ser para si mesmo, porque foi criado com base em suas próprias experiências.

 

Uma criança que assiste assiduamente ao desenho do Pica-Pau, por exemplo, pode crescer acreditando que para ganhar é preciso que os outros percam.

Perguntas Poderosas

Mas você deve estar se perguntando: “mas como mudar as crenças e valores?”

 

A resposta é: questionando-os! Usando uma das armas mais poderosas que temos: as perguntas.

 

Se alguém chega atrasado constantemente, ao invés de apenas dizer “eu não quero que você chegue atrasado!”, experimente chamar esta pessoa para conversar e faça-lhe algumas perguntas como:

  • “você tem planos de crescimento aqui na empresa?”
  • “como você entende que seus atrasos constantes podem contribuir para seu crescimento?”
  • “se tivéssemos uma promoção para o seu cargo em aberto neste momento, pensa que este seu comportamento o aproximaria ou o afastaria dela?”
  • “Se continuar com este comportamento, o que pensa que pode acontecer?”.

Um novo comportamento

Se conseguir levar a pessoa a refletir sobre determinada situação a ponto de ela rever suas crenças e valores, e então decidir mudar o seu Modelo Mental por si mesma, as chances de que um novo comportamento se estabeleça são muito maiores!

 

Isso porque ninguém muda ninguém, mas principalmente, ninguém muda sozinho.

 

Se você deseja se tornar um líder que desperte o melhor nas pessoas e as levem para o caminho da transformação, conheça a Formação em Coaching de Liderança da Crescimentum.

 

Você irá aprender o poder de conversas transformadoras e entender como é possível impactar pessoas por meio de perguntas poderosas.

Como utilizar modelos mentais a seu favor

Antes de começarmos gostaria de fazer um teste. Você tem algum comportamento que não gosta, disse que não ia mais fazê-lo e depois de algum tempo voltou a repeti-lo?

 

Espero que sim, pois assim você me faz sentir como uma pessoa normal. É incrível como alguns comportamentos nos incomodam e não conseguimos mudá-los. Seria isso uma forma de autossabotagem? Talvez sim.

 

Mas o que posso te ajudar a entender é que segundo Peter Senge, autor do livro “A Quinta Disciplina”, os comportamentos são gerados por meio de nossas crenças, que estão completamente arraigadas em nossas mentes e que nos fazem olhar o mundo sob nossa perspectiva.

 

Essas crenças, também conhecidas como modelos mentais, são a razão pela qual agimos da forma que agimos (que pode ser limitante ou fortalecedora) e nos ajudam a sermos quem gostaríamos de ser.

Mas o que fazer quando elas são tão arraigadas assim?

O primeiro passo é tomar consciência das nossas crenças. Como? Simplesmente nos perguntando porque temos determinados comportamentos. Você pode se surpreender com as respostas que virão.

 

Pergunte muitas vezes “Por que” e responda sinceramente para si mesmo. Comece por um comportamento que não gosta e se pergunte mais de uma vez, se necessário, o porquê você age dessa forma, a resposta pode te surpreender e talvez dar até um pouco de vergonha de ter um motivo tão simples, porém ao mesmo tempo tão forte que te deixa momentaneamente incapaz de mudar.

 

Uma vez descoberto o porquê, o que fazer? Se pergunte: é hora de mudar? O quanto manter esse comportamento está me limitando a ser quem eu quero ser?

 

Quando os ganhos forem maiores que as perdas é a hora. E qual o próximo passo?

 

Pense sobre o novo comportamento que gostaria de ter, então se pergunte, o que eu preciso acreditar para me comportar dessa nova forma?

 

É um ciclo vicioso: eu acredito em algo que me faz me comportar de tal maneira e que me gera resultados positivos.

 

Na teoria tudo é lindo. Entretanto, na prática você pode dizer a si mesmo essa nova crença e se questionar, “mas eu não acredito nisso”. Essa é uma etapa comum nesse processo de mudança, já que se você já acreditasse nessa nova crença, certamente se comportaria de outra forma.

Comece agora mesmo

O que proponho é fazer um acordo: Te convido a agir como se acreditasse nesse novo modelo mental. Se comporte imaginando. “Se eu acreditasse nisso, eu faria isso de outra forma” , e assim comece a colocar esse novo comportamento em prática.

 

Você vai perceber no começo algo meio mecânico, mas aos poucos vai colher outros resultados e automaticamente, querendo ou não, você vai passar a incorporar esse novo modelo mental.

 

Vai ser de uma hora para outra? Não, mas você irá experimentar que é possível ter um novo comportamento e, aos poucos, com pequenos passos, adotará um novo modelo mental.

 

É possível mudar! E que tal começar hoje mesmo? Conheça nossas opções de cursos e entenda de que forma podemos atender suas necessidades e ajudá-lo em seus desafios!