Posts

Transição de Carreira: quer se tornar um Coach?

Você já pensou em fazer uma transição de carreira e se tornar um Coach?

 

Não importa sua idade ou profissão, se encarar a temida segunda-feira é sinônimo de desânimo e frustração, talvez esse seja o momento propício para você repensar suas escolhas.

 

Em pesquisas realizadas pelo próprio Google, nunca se buscou tanto pela palavra propósito. São muitas as pessoas que demonstram insatisfação no ambiente de trabalho e que desejam encontrar novas formas de serem felizes.

 

Segundo a ISMA Brasil, 72% das pessoas estão insatisfeitas com o trabalho e já pensaram em mudar de carreira. Se você se vê diante desse cenário, e têm o desejo de se tornar um Coach, saiba que esse pode ser um bom caminho.

 

O profissional de Coach tem movimentado uma parcela altamente significativa em nível mundial, já são mais de 2,3 bilhões de dólares ao ano.

 

Mas se tornar um Coach é muito mais que uma realização profissional, é um caminho para o desenvolvimento pessoal.

 

No blogpost dessa semana, a Coach da Crescimentum Amanda Melo, nos dá dicas simples de como encarar esse processo, mostrando-nos que apesar dos prováveis medos é possível passar por essa transição com alta performance.

 

Se você quer se tornar um Coach para viver seu propósito de vida, veja os passos que ela seguiu quando também decidiu fazer essa transição de carreira.

1° Passo  – Fazer autoanálise

 

Se você não se sente encaixado em sua rotina ou sente vontade de jogar tudo para o alto, esses podem ser os primeiros indícios de que é chegada a hora de repensar sua carreira.

 

O primeiro passo é analisar seu dia a dia no trabalho, para perceber o que não faz mais sentido, e, se ao trocar de ambiente, ainda não continuaria sentindo a mesma insatisfação.

 

Às vezes a insatisfação é derivada do ambiente de trabalho ruim e não da atividade profissional que você escolheu, mas, se ela persistir, é preciso dar atenção.

 

Os questionamentos aparecerão com mais frequência quando você estiver nessa fase de descontentamento, mas eles podem ser aceleradores para trazer à consciência se suas motivações de mudança são de fato genuínas.

 

Por isso é tão importante fazer as perguntas certas nesse momento, para que não ocorra apenas uma mudança de ambiente e você continue sentindo a mesma insatisfação.

 

O que você quer alcançar? Por que isso é importante para você? Para que você acorda todos os dias? Quais possibilidades se abrem? O que pode te impedir?

 

As perguntas são mais importantes que as respostas, pois elas geram novas oportunidades, proporcionando uma visualização do seu estado desejado.

 

Portanto, há que se refletir: será que vale a pena investir tanto tempo da vida em algo que não faz mais sentido? Em uma carreira sem propósito?

2° Passo – Desenvolver autoconhecimento

 

O autoconhecimento é uma competência que ninguém nos ensinou, mas que acelera nosso desenvolvimento, pois quando temos consciência de quem somos é mais fácil encontrar a direção para uma mudança efetiva.

 

Por esse motivo, o autoconhecimento é o segundo passo para quem deseja uma transição de carreira e quer se tornar um Coach.

 

É nesse processo que você começa a identificar quais são suas principais habilidades e competências, quais deficiências precisam ser trabalhadas, e, se seus novos projetos profissionais são coerentes ao seu propósito de vida.

 

Outro fator importante nesse processo de autoconhecimento é integrar outras práticas que possam potencializar o seu desenvolvimento.

 

 Em sua trajetória, a Coach da Crescimentum Amanda Melo, utilizou a meditação, yoga e a psicoterapia para ajudar a desenvolver a autoconsciência.

 

Mas, o que fez toda diferença em sua transição de carreira foi um processo de Coaching, que a ajudou a liberar todo seu potencial para a alta performance.

 

É importante vivenciar na prática um processo de Coaching se você quer se tornar um profissional. E o autoconhecimento faz parte dessa busca por desenvolvimento pessoal que o Coaching proporciona.

 

Ter habilidade para perceber e gerenciar as próprias emoções nos ajuda a entender se nosso desejo de mudança não é apenas remediativo.

 

Segundo a OMS, a Inteligência Emocional foi listada como uma das competências mais importantes para 2020, e o autoconhecimento é uma das habilidades de quem tem I.E.

 

Em sua transição de carreira, todos os caminhos levaram ao trabalho de desenvolvimento humano, facilitado pela busca do autoconhecimento.

 

“E entre tantas jornadas possíveis, o que realmente se conectou ao meu propósito de vida, foi a Carreira de Coach, comenta Amanda.

3° Passo – Buscar por referências

 

Depois de descobrir que se tornar Coach é o seu propósito de vida, é necessário buscar por referências, e é exatamente esse o terceiro passo.

 

A transição para o novo caminho com o qual você se conectou é de fato um processo investigativo que depende muito de você.

 

Pesquisar cursos e organizações que sejam comprometidos com seu propósito e identidade, o ajuda a ter mais clareza sobre seu processo de mudança.

 

Em sua jornada, Amanda buscou como referência escolas que estivessem vinculadas a ICF – International Coach Federation, maior associação global de coaches, que garante padrões éticos e a integridade da profissão.

 

Se pergunte: o profissional que você quer se tornar têm um pouco do profissional que você busca como referência?

 

É importante saber que suas referências guiarão você nesse início de jornada, tenha como parâmetro instituições ou escolas que sejam comprometidas com padrões de excelência.

 

Nesse processo também é importante entender quais serão os seus maiores desafios, e quais os maiores desafios sua nova jornada enfrenta, tirar dúvidas sobre a carreira é primordial para definir o próximo passo.

4° Passo – Se possível, experimente

 

O quarto passo para se tornar um Coach está relacionado com a prática, o exercício e a experimentação.

 

Segundo a Neurociência, nosso cérebro é 80% mais emocional do que racional, por isso as experiências práticas são guardadas por nós de maneira mais efetiva do que o aprendizado formal.

 

Por esse motivo tentar vivenciar a nova prática trará mais conexão com seu propósito. Busque referência em escolas que lhe permitam vivenciar também na prática o seu aprendizado.

 

“Em minha experimentação, contratei um processo de Coaching, afinal, se não fosse efetivo para mim, como poderia acreditar ser o meu propósito e minha profissão?”, comenta Amanda.

5° Passo – É hora de começar

 

Depois de vivenciar o que é ser Coach na prática, é hora de começar! O quinto passo é o pontapé inicial.

 

O que de fato permite um Coach ser um bom profissional, dentro de todos os padrões de excelência e ética são suas “horas de voo”.

 

Quanto mais prática e horas de atendimento, mais esse Coach estará próximo de se tornar um profissional de sucesso. O que de fato lhe garante uma jornada sólida e segura é a prática!

 

Nenhum profissional se torna Coach da noite para o dia, e estar vinculado a uma instituição ou escola que desde o início de sua formação te possibilite essa prática, é sem dúvida, uma ótima escolha.

 

Essa posição reafirma a convicção de que os bons profissionais são construídos na prática. São muitos os caminhos que o Coach pode traçar, e existem várias especializações que os possibilitam direcionar suas carreiras.

 

Vamos dar o primeiro passo?

 

“É preciso começar! Após um ano de transição de carreira, sou uma profissional realizada e conectada ao meu propósito. Ser profissional de Coach é a essência da minha vida”, comenta Amanda.

 

A Certificação Profissional em Coaching da Crescimentum é para você que quer se tornar um Coach com propósito. Unimos há mais de 15 anos experiência e expertise no mercado.

 

Venha com a gente e descubra novas possibilidades em sua carreira profissional.

 

por Amanda Melo, Coach da Crescimentum

 

Como descobrir e comunicar o propósito da minha empresa?

Você está a caminho de mais um dia corrido de trabalho e passa por uma banca de jornal. Dá uma olhada rápida nas tantas edições de revistas e, então, observa a capa da Revista Exame “A força do propósito”.

 

Meses depois, é a vez da Você RH com a edição “Em busca de um propósito que encante”. Por que, de repente, tanto se fala sobre propósito?

 

Atualmente, é muito comum ouvir falar sobre esse tema. Vivemos em tempos de mudanças e, nessa maré de autoconhecimento, muitas pessoas já compreenderam a necessidade de encontrarem seus mais profundos “por quês” para levarem uma vida com mais significado, motivação e plenitude.

 

Mas por que o propósito é pauta de duas grandes revistas corporativas? Acontece que esse tema não é apenas primordial para pessoas físicas. Empresas são geridas e movidas por pessoas e, cada vez mais, está claro que um trabalho deve ir além de simplesmente gerar lucro.

 

E é sobre isso que quero falar hoje!

 

O que é propósito?

Sabemos que o dia a dia corporativo não é nada fácil. Os desafios são constantes e é normal que a sua empresa enfrente os altos e baixos. Mas como superar as pedras do caminho? Com propósito!

 

Propósito é o que te faz realizar as coisas com foco e determinação. Tendo em vista o da sua empresa, um objetivo deixa de ser apenas uma meta, para se tornar ainda mais profundo. Gostamos de falar sobre esse tema como o motivo por que você levanta da cama todos os dias.

 

No caso empresarial, o propósito é aquilo que está por trás de tudo o que é feito, como e por qual motivo. É o que une e inspira ações.

 

Por que isso é importante?

Imagine o seguinte cenário: você chegou na empresa e é mais um dia maluco de trabalho. Você se vê, constantemente, correndo contra o tempo. Não consegue mais participar de todos os processos, reuniões e decisões. A organização está crescendo e, com isso, a demanda é maior.

 

Diante desse cenário, como garantir que a qualidade e padrão não se percam? Acima disso, como garantir que as pessoas saibam por que estão fazendo o que estão fazendo, permanecendo em um estado de motivação e engajamento?

 

Ter o propósito da sua empresa claro é importante para que a identidade do seu negócio seja transmitida de forma perene e única. Afinal de contas, podem existir muitas empresas que fazem o que você faz, mas, dificilmente, elas farão como você faz.

 

Uma empresa com propósito definido é aquela que sabe onde quer chegar e qual a sua contribuição maior para a sociedade. E em um mercado extremamente competitivo, ter claro o seu propósito atrai pessoas que se identificam e confiam naquilo que você oferece.

 

Talvez você já tenha entendido a importância de identificar o seu propósito, mas ainda temos um ponto essencial! Definindo um propósito, você contribui para o maior capital do seu negócio: o humano. Cada vez mais, as pessoas buscam por algo que vá além de uma rotina massiva de entregas e resultados.

 

Pessoas que trabalham com propósito têm maior performance, pois se percebem parte imprescindível para algo grandioso. Encontrar sentido no que se faz, contribui na produtividade, motivação, senso de pertencimento e redução do turnover.

 

Portanto, a prosperidade do negócio está atrelada à forma como você sai de uma abordagem superficial, enxergando o mercado de forma que fuja ao óbvio! E essa cultura se torna, gradualmente, intrínseca em todos os processos da sua empresa, pois, embora as áreas trabalhem de forma autônoma, são guiadas pelo mesmo objetivo.

 

Como encontrar o propósito da minha empresa?

Agora que você já visualizou a importância de identificar o propósito da sua empresa, deve estar se perguntando: perfeito, mas de que forma encontro isso? Poderia existir algum manual ou teste, mas não é bem assim…

 

O propósito é algo único, exatamente por partir de uma motivação pessoal. Portanto, é um processo que deve ser feito a partir de um mergulho em seus valores, crenças, motivações e na cultura que deseja implementar na organização.

 

Para isso, reserve um tempo para refletir sobre as seguintes perguntas:

1-  Qual legado você quer deixar?

2-  Se sua empresa deixasse de existir amanhã, o que a sociedade perderia?

3-  Que diferença sua empresa faz na vida das pessoas?

 

Tendo as respostas para essas perguntas tão profundas, você encontrará o propósito da sua empresa! Costumamos comparar o propósito a uma bússola, que nos aponta o caminho mesmo quando as coisas parecem caóticas.

O papel do líder nesse contexto

Definir o propósito pode ser tarefa difícil, mas agora surge outra etapa: comunicá-lo para toda a empresa. Nesse momento, existe uma figura essencial para garantir que as coisas sejam feitas dentro desse plano maior: o líder.

 

Isso porque não adianta ter um propósito definido, se ele está apenas gravado em sua parede. E, para isso, é preciso repensar sobre o papel do líder dentro da organização.

 

O líder é quem possui forte vínculo com o “por que” da organização, identificando-o em sua própria trajetória pessoal. Dessa forma, criar uma cultura de liderança forte atrelada ao propósito da organização, garante que tudo funcione em sintonia.

 

Uma liderança forte sustenta a identidade do negócio, de forma que esteja alinhada à identidade dos colaboradores. Somente assim, é possível alcançar uma organização preparada para o crescimento e para superar os desafios (porque eles virão!).

 

Se você quer saber mais sobre esse tema, assista à palestra gratuita “Como criar uma cultura de liderança de alta performance”. E você, está preparado para descobrir o propósito da sua empresa e alavancar resultados? 

 

Por Arthur Diniz, CEO e fundador da Crescimentum

A essência da Liderança nos tempos modernos!

por Arthur Diniz, CEO e fundador da Crescimentum

 

Em uma época na qual a liderança se tornou tão importante quanto rara nas empresas, cada vez mais surgem questões como: quem serão os líderes do futuro?

 

Quais características devem predominar nas pessoas que vão guiar e inspirar seguidores, dentro e fora do ambiente de trabalho?

 

Tenho a convicção de que o perfil dos futuros líderes será muito diferente do que vimos até hoje.

Características da Liderança

O autoconhecimento, o reconhecimento das emoções e o equilíbrio serão as qualidades mais valorizadas.

 

Para que se possa ter uma ideia da importância do tema hoje, duas pesquisas podem ser ressaltadas. A primeira levantou a seguinte pergunta:

 

O que torna uma empresa um lugar ruim para se trabalhar? 64% das pessoas responderam: Líderes despreparados.

 

Isso faz com que a segunda pesquisa não seja surpresa. Em levantamento feito pelo Fórum Ibero Americano de Treinamento e Desenvolvimento, 63,5% dos entrevistados (profissionais de Recursos Humanos) colocam a liderança como tema prioritário de treinamento para 2004.

 

Quem, então, poderá se tornar líder do futuro? Acredito que ele tenha, no mínimo, as 8 características abaixo:

 

  1. Conhece a si mesmo

 

O líder do futuro sabe quais são seus pontos fortes e fracos, oportunidades e ameaças. Entende que pode controlar suas emoções e, com isso, gerenciar a própria motivação e a dos seus seguidores.

 

Ele usa essas informações para crescer e apoiar o crescimento de todos à sua volta. Faz, diariamente, o teste do espelho, verificando se aquela pessoa refletida todas as manhãs é quem gostaria de ser.

 

  1. Sabe sua missão de vida e tem uma visão de futuro

 

O líder moderno tem certeza de seu propósito de vida, de sua missão e dos efeitos que sua atuação tem ao seu redor. Sabe que foi enviado com uma missão e que vai cumpri-la.

 

Tem uma visão clara de futuro, do que quer ser, de onde e com quem quer estar nos próximos 6 meses, 1 ano, 5 anos…

 

Essa visão faz com que seja uma pessoa diferenciada, o que se reflete em todas as suas ações e no seu impacto sobre os outros.

 

  1. Implementa sua visão de futuro sem medo

 

Outra característica marcante do grande líder é a capacidade de agir e promover a ação de todos sem medo.  Ele não teme a rejeição ou o fracasso, porque tem consciência de sua missão, valores e capacidade de implementação.

 

Além disso, aprende a transformar o fracasso em feedback, fundamental para seus próximos passos. O líder do futuro sempre faz a si mesmo aquelas perguntas mágicas:

 

O que eu faria se não houvesse nenhuma possibilidade de erro ou fracasso? O que eu faria se tivesse a certeza absoluta de que, seja qual for a minha ação, o sucesso está garantido?

 

Tendo a resposta dessas perguntas, o líder já sabe o que deve fazer.

 

  1. Conhece seus valores e os vivencia

 

O líder do futuro conhece seus valores e os vivencia. Reconhece suas falhas e pede desculpas. Assume a responsabilidade pelos erros de sua equipe e repassa os créditos do sucesso a seus seguidores.

 

Ele cumpre o que promete aos seus liderados, mesmo que com isso tenha que se desgastar com seus chefes e com a sua empresa.

 

  1. É criativo

 

O líder moderno é criativo, não somente no sentido literal da palavra. É criativo porque pode exercer papéis diversos e se comporta de maneira diferente de acordo com as situações que se apresentam e principalmente com pessoas diferentes.

 

Conhece o perfil comportamental dos seus liderados e se adapta a eles. Alguns o consideram detalhista enquanto outros o taxam de generalista.

 

Alguns o definem como participativo enquanto outros acham que ele concentra as decisões. A frase de Edgar Schein resume muito bem esse conceito:

 

O líder do futuro será uma pessoa que pode conduzir e seguir, ser central e marginal, estar hierarquicamente acima e abaixo, ser individualista e membro da equipe e, acima de tudo, ser um eterno aprendiz.

 

  1. É um Coach

 

O líder de amanhã é um excelente Coach. Como diz Jack Welch “No futuro, pessoas que não forem Coaches não serão promovidas. Gestores que forem Coaches serão a regra”.

 

O que é ser um líder Coach? Significa uma mudança brusca com relação ao comportamento da maioria dos líderes atuais.

 

Quer dizer liderar por meio de perguntas e não de respostas, e colocar-se em condição de igualdade com seus liderados. Significa também pressupor que todos têm, dentro de si, um potencial ilimitado.

 

É conhecer e respeitar a missão, valores e objetivos de cada um dos seus seguidores.

 

Para que isso seja possível, esse líder necessita ter três qualidades marcantes: autoconfiança, paixão pelo que faz e amor pelas pessoas.

 

São características que permitem ao líder se colocar em uma posição de igualdade com seus seguidores sem medo de ser desrespeitado, superado ou desqualificado.

 

  1. Tem uma vida equilibrada

 

Para finalizar, o novo líder tem uma vida equilibrada. Ele sabe que liderança não é um conceito que se aplica somente ao trabalho: é um líder em sua família, em sua comunidade, na busca pela espiritualidade e pela saúde.

 

Diante de tudo isso, você se considera um líder do futuro? Quer ser um líder que motiva seus colaboradores e alcança resultados exponenciais? Aprenda as ferramentas para tornar a sua empresa mais sustentável e humana em nosso Líder do Futuro!

Como buscar o autodesenvolvimento de forma eficiente

Antes de falarmos sobre autodesenvolvimento é importante entendermos o que significa essa prática.

 

Quando buscamos o autodesenvolvimento estamos fazendo o exercício de ampliar a consciência de quem somos e do nosso papel no mundo.

Primeiros passos

Acredito que o primeiro passo para o autodesenvolvimento é a clareza do nosso propósito, ou seja, nosso “norte pessoal”. O propósito é a principal razão, ou deveria ser, o nosso principal motivador para orientar nossos valores, capacidades e comportamentos no ambiente.

 

Uma vez que eu defino o meu propósito (pessoal ou profissional)  o próximo passo é compreender quais são os meus valores e modelos mentais, ou seja, formas de pensar que me permitirão desenvolver as capacidades que eu preciso. Você já se perguntou quais são os seus talentos? O que você faz de melhor? Como você impacta o mundo com seus talentos?

Identificando as capacidades a serem desenvolvidas

Depois dessa etapa, é hora de identificar aquelas capacidades ainda pouco desenvolvidas e que precisam ser gerenciadas até que possamos evoluí-las a um patamar, no qual, possam ser melhor aproveitadas e não anulem os nossos principais pontos fortes (auto aprimoramento).

 

Essa não é uma etapa tão simples, pois estaremos entrando em contato com aquilo nos provoca certo incômodo. Esse incômodo deve nos mover para o auto aprimoramento.

Capacidades identificadas, e agora?

Complementando este ciclo, há a necessidade de termos a consciência do impacto dos nossos comportamentos nos ambientes onde atuamos (Autogerenciamento). Como nossos pontos fortes, capacidades e pontos de desenvolvimento são percebidos pelo meio e nos ajudam (ou prejudicam) a nos relacionarmos com o outro.

 

A esse estimulante e desafiador exercício do autodesenvolvimento dei o nome de 3A’s – Autoconhecimento, Autoaprimoramento e Autogerenciamento. Esses três passos podem nos possibilitar um novo significado e novas formas de pensar, sentir e agir diante da vida. Só por isso, já te aconselharia a aplicar os 3A’s.

 

A questão é que algumas pessoas acreditam que o autoconhecimento só tem espaço quando buscamos realizar alguma coisa diferente daquilo que estamos acostumados a fazer ou viver e, com isto, perdem uma grande chance de se aperfeiçoarem e viverem ainda melhor dia após dia.

A hora é AGORA!

Por isso sempre pense: quando começar? Agora. Por quanto tempo manter? Por toda vida. Isso porque somos todos seres em desenvolvimento e a experiência humana é a oportunidade que temos para promover esse desenvolvimento. Guimarães Rosa já dizia: “quem elegeu a busca não pode recusar a travessia”.  

 

Lembrando que a mudança pode começar com atitudes simples que tenho total certeza que mudarão sua vida e modo de agir! Conheça agora mesmo nossas opções de cursos abertos e entenda qual deles atende melhor sua necessidade, seu momento e seus objetivos!

Portfolio Items