Posts

Coaching e Mentoring: afinal, qual a diferença?

Por Alessandra Sperandio, coach parceira da Crescimentum

 

Para que seja possível abordar a diferença entre Coaching e Mentoring, é fundamental entender, separadamente, o que cada um significa, suas aplicabilidades, para quem se destina e quais competências os profissionais de cada abordagem precisam ter para obter sucesso em suas conduções e atuações.

Coaching e Mentoring

Entendendo o Mentoring!

Mentoring é um termo em inglês que significa “tutoria”, “mentoria” ou “apadrinhamento” e é utilizado como um caminho de desenvolvimento através de um profissional experiente, chamado de mentor ou conselheiro.

 

O mentor possui uma larga bagagem profissional, visto que já passou por diversas situações que lhe proporcionaram um profundo aprendizado, aumento de repertório e desenvolvimento de novas competências para enfrentar situações complexas em sua área de atuação.

 

E, com essa bagagem, auxilia profissionais menos experientes ou em início de carreira, disponibilizando toda a sua experiência para que aprendam com quem já viveu situações similares.

 

É uma maneira de aumentar as possibilidades de sucesso, por meio da resolução de problemas num menor espaço de tempo.

 

O Mentoring pode ser utilizado dentro das empresas e tem como principal responsável a área de Recursos Humanos.

 

É ela que identifica e convida os profissionais sêniores, sejam de dentro da própria empresa ou de consultorias capacitadas.

 

O foco é a diversidade de profissionais com experiências e vivências para a atuação como mentor de seu público interno em novas funções que demandam treinamento e aceleração de aprendizado.

 

Apesar dessa estratégia ser ideal na formação de novos colaboradores e na aceleração de aprendizado de profissionais em novas funções, o Mentoring ainda é pouco aplicado no Brasil.

 

Estima-se que uma a cada dez grandes organizações utilizam e adotam esse método para desenvolver e capacitar seus profissionais.

 

Outro ponto é que, mesmo sendo mais utilizado e aplicado nas empresas, é possível utilizar esse método em outras áreas da vida, além da profissional.

É a vez do Coaching!

Coaching é também um termo em inglês, oriundo da palavra Coach que significa “treinador”.

 

A terminologia Coaching é destinada a uma metodologia que utiliza ferramentas e princípios próprios para ajudar pessoas a alcançarem seus objetivos em um período determinado, de forma estruturada e focada em ações, conforme já abordado em artigos anteriores.

 

Duas das principais competências que um profissional Coach precisa ter são a capacidade de atenção plena ao seu Coachee e saber ouvir desprovido de julgamentos, opiniões, “achismos”, induções e conclusões.

 

Outro princípio básico do Coaching é que o Coach não opina e nem dá “dicas” sobre o que seu cliente precisa fazer para chegar na sua meta.

 

O que ele faz é utilizar ferramentas apropriadas para facilitar o processo de reflexão de seu Coachee.

 

Utilizando-se dessas principais competências, ele se torna capacitado a fazer perguntas relevantes que ajudam seu Coachee a buscar suas próprias respostas, ressignificar algumas crenças e buscar novos caminhos neurais, que o ajudem a pensar no que nunca pensou.

 

A partir desses questionamentos, o Coachee é capaz de fazer o que ainda não fez para chegar onde deseja estar, por meio de suas próprias ações, escolhas e decisões.

O profissional de Mentoring precisa ser um Coach?

Não necessariamente. É interessante que o mentor conheça as ferramentas de Coaching, já que elas podem ajudar na sua atuação.

 

Está cada vez mais comum encontrar executivos experientes e bem-sucedidos que buscam a formação e certificação em Coaching para ampliar sua atuação e utilizar as duas metodologias em contextos e necessidades específicas para cada uma.

Como fazer a melhor escolha de acordo com a necessidade?

Ao escolher um profissional que não tem experiência técnica e profissional suficientes para ser um mentor, há o risco de que ele exerça esse papel sem a competência para isso, podendo causar mais prejuízo do que benefício dentro do processo.

 

Ou seja, se o profissional ainda não alcançou grandes feitos ou teve vivências diversas e suficientes em sua trajetória profissional, como ele instigará e desenvolverá outros profissionais?

 

Para a contratação do Coach podemos seguir a mesma linha de raciocínio… Como um Coach ou uma empresa que atua com processos de Coaching e que não possui a certificação adequada para se capacitar na metodologia, poderão auxiliar no desenvolvimento do máximo potencial de outros?

 

Entender a diferença entre Coaching e Mentoring fica menos complexo, diante desses pontos. Podemos dizer que os dois são similares na medida que buscam apoiar pessoas a evoluírem e alcançarem seus objetivos.

 

No entanto, ambos possuem métodos e processos bem diferentes. E, ao ter lido esse artigo, acreditamos que você saberá identificar e escolher o processo que corresponde melhor à sua necessidade, escolhendo um profissional adequado para atender às suas expectativas.

 

Se você se interessou pela carreira de Coach e deseja otimizar os seus resultados, aprofundando-se nas ferramentas de Coaching, busque certificações reconhecidas pelo mercado, como a da Crescimentum.